Crise no Acre chega ao sétimo dia. Saiba como ajudar

Postado em: 22-02-2021 às 13h10
Estado sofre com alagamentos em ao menos 10 cidades, surtos de dengue e falta de leitos para pacientes com covid-19 | Foto: Reprodução

Luan Monteiro

Nesta segunda-feira (22/2) o Acre
chegou ao seu sétimo dia em situação de emergência. Ao menos 10 cidades estão
alagadas pela cheia dos rios, o que afeta quase 120 mil pessoas, além de surtos
de dengue, falta de leitos de UTI para pacientes com covid-19 e um conflito
migratório na fronteira com o Peru.

A situação do Estado pode piorar com as
previsões de chuva paras os próximos dias, o que pode isolar o Estado por vias
terrestres. A situação já é considerada uma das mais graves da história.

Já em relação a pandemia, o Acre está
em zona vermelha desde 1º de fevereiro. Segundo a Secretaria de Saúde do
Estado, no último sábado (20/2),
357 pacientes estavam internados com
Síndrome Respiratória Aguda Grave, destes, 278 tinham testado positivo para
covid-19. Na rede do Sistema Único de Saúde (SUS), a ocupação é de 91,1% nas
UTIs e de 85% nos leitos clínicos. O Acre também enfrenta um surto de dengue,
onde apenas na capital Rio Branco há 8,6 mil casos suspeitos da doença e 1,5
mil confirmados.

Crise migratória

Na fronteira com o Peru cerca de 400 imigrantes estão
acampados nas proximidades da Ponte da Amizade reivindicando retorno a seus países
de origem, o que não é possível devido ao fechamento das fronteiras em
decorrência da pandemia.

Como ajudar

A Associação do Ministério Público do Estado do Acre (AMPAC),
está realizando uma campanha para arrecadação de fundos para auxiliar no
controle da situação no Estado. As doações podem ser feitas por depósito ou transferência
bancária.

Associação do Ministério Público do Estado do Acre

Banco do Brasil

Agência: 2359-0

Conta Corrente: 14.300-6

 

Por: Raphael Bezerra
Compartilhe: