Segunda-feira, 26 de fevereiro de 2024

‘Samba na Gamboa’ traz hoje Mr. Catra e Gabriel o Pensador para a TV Brasil

O Samba na Gamboa mistura a batida do funk, com as rimas do rap e o gingado do samba no encontro de

Postado em: 29-02-2016 às 00h00
Por: Redação

O Samba na Gamboa mistura a batida do funk, com as rimas do rap e o gingado do samba no encontro de Mr. Catra e Gabriel o Pensador com o bamba Diogo Nogueira. O trio faz todo mundo dançar até o chão, hoje, às 22h, na TV Brasil.

Os convidados recordam a origem das suas carreiras, destacam as principais parcerias e explicam como o funk e o rap têm obtido cada vez mais espaço no meio musical. Para embalar o bate-papo, eles cantam sucessos como Solitário Surfista, Primavera, Lavagem Cerebral e Cachimbo da Paz.

Catra nasceu no morro do Borel, mas foi cri­ado por uma família de classe média alta. De Wagner se transformou no astro Mr. Catra. É cantor de funk, mas já flertou com o rock, com o rap e com o samba. “Antigamente eu tinha uma banda chamada Contexto onde comecei a cantar e a rimar. Nessa época do Contexto o meu nome era Negativo, tá ligado? Nos anos 90, encontrei Cidinho e Doca e eles falaram: ‘Negão, a tua cara é o funk’. Aí eu fui e faço funk até hoje’”.

Continua após a publicidade

O funk é uma religião na visão do artista. “O funk é uma religião que salva muitas vidas. É um milagre que dá integrida de para várias pessoas. Sucesso não existe para o funkeiro, para ele existe o trabalho”, define Mr. Catra.

Gabriel o Pensador é rapper, compositor, escritor e ativista social. Com letras repletas de sátiras, ironias, humor e metáforas, ele busca questionar temas polêmicos, como por exemplo, desigualdade social. Política, pobreza e violência também estão nos versos de suas composições. “Escrever foi um vício que apareceu e me ajudou a canalizar uma vontade de expressar muita coisa”, afirma.

O músico defende a importância de se mesclar os estilos musicais e lembra passagens importantes da carreira. “Tem uma mistura boa entre o samba e o rap. Eu tenho uma história bem marcante que foi gravar com o Moreira da Silva. Eu o conhecia antes de ter gravadora, tinha procurado ele para falar de uma possível parceria e ele foi super atencioso, disse que gostou da minha ideia. Depois, lá na frente, surgiu a oportunidade de convidá-lo para um projeto”, conta Gabriel. 

Veja Também