Quarta-feira, 28 de fevereiro de 2024

Culturas populares ficam em evidência na Vila de São Jorge, na Chapada dos Veadeiros

Expositores culturais trazem discussões sobre sustentabilidade e arte

Postado em: 27-11-2023 às 10h30
Por: Tathyane Melo
Imagem Ilustrando a Notícia: Culturas populares ficam em evidência na Vila de São Jorge, na Chapada dos Veadeiros
Expositores culturais trazem discussões sobre sustentabilidade e arte | Foto: Divulgação

Na encantadora Vila de São Jorge, porta de entrada para o mágico Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, um evento grandioso se desenha no horizonte cultural: o Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros, promovido pela Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge, entre os dias 13 e 17 de dezembro. Esta edição, intitulada ‘Edição Especial Educação Que Transforma’, marcará um capítulo especial na história do evento, que, em 2023, completa sua 23ª edição, reforçando seu papel fundamental como espaço de união e reflexão sobre as riquezas das culturas populares e tradicionais do Brasil.

A conferência temática das culturas populares e tradicionais, a peça central do evento, reunirá mais de 50 mestres de diversas manifestações culturais de todo o país durante os dias do evento. Palestras, rodas de prosa, oficinas, shows e a Feira de Experiências Sustentáveis do Cerrado compõem uma programação ampla e rica, que já contou com a participação de aproximadamente 460 mil pessoas ao longo de suas edições, fortalecendo também a identidade e economia da região da Chapada dos Veadeiros.

O Encontro de Culturas faz parte do calendário cultural anual do Estado de Goiás e beneficia o público regional, nacional e internacional. Em 23 anos de história, o Encontro já reuniu 575 atrações culturais, mais de 196 oficinas e cerca de 200 rodas de prosa, fortalecendo também a região da Chapada dos Veadeiros.

Continua após a publicidade

Em seus 23 anos de existência, o evento promove um diálogo significativo entre os mestres, representantes governamentais e organizações sociais em todo o território nacional. O intuito é identificar políticas públicas culturais e transversais que auxiliem na preservação e valorização desses grupos, abrangendo aspectos como saúde, educação, preservação e memória, inovação e qualificação profissional. É um espaço amplo e de reconhecimento para a escuta ativa das demandas das comunidades tradicionais, aproximando-as dos gestores públicos e das políticas existentes.

Conferência temática das culturas populares e tradicionais

Entre os destaques desta edição fora de época está a participação de mais de 50 mestres da cultura popular de todo Brasil para uma Conferência Temática das Culturas Populares e Tradicionais. Os confirmados para a conferência já tem nomes como os mestres e mestras, Manoel Salustiano, do Maracatu Rural Piaba de Ouro, Fabiano Santos do Afoxé Alafin Oyó, Maciel Salú e Martinha do Coco do Estado de Pernambuco, Ribinha do Boi de Maracanã do Estado do Maranhão, Makota Cassia Manzo e Jorge Antônio do Batuque e Cantiga dos Arturos do Estado de Minas Gerais.  Além dos convidados Zé do Boi, do Boi de Mamão, de Santa Catarina, Volmi Batista e Chico Simões do Distrito Federal e Zé Nilo, da Caçada da Rainha de Colinas do Sul, Adelídio Ferreira e Doroty Marques do Estado de Goiás, entre outros representantes de expressões culturais variadas.

A conferência busca iniciar a discussão para a formação de um programa nacional que atenda às necessidades das culturas populares e tradicionais. É um passo à frente para a preservação e valorização de expressões culturais ricas e variadas ao redor do país.

O encontro tem a co-realização da Prefeitura de Alto Paraíso de Goiás, por meio da Secretaria de Turismo do Município, da Universidade Federal de Goiás (UFG), do Ministério da Cultura (MinC). O evento conta ainda com o apoio do Governo de Goiás, por meio do Fundo de Arte e Cultura (FAC), mecanismo de fomento gerenciado pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult), e Goiás Turismo, e parceria da Associação dos Moradores da Vila de São Jorge (ASJOR).

Inscrições para expositores na Feira de Experiências Sustentáveis do Cerrado

A Feira de Experiências Sustentáveis do Cerrado, que será parte desta edição, proporciona uma oportunidade única para 20 expositores da região do Nordeste Goiano, outrora considerada a mais vulnerável do Estado, mas hoje uma potente região de produção artesanal.

Os expositores interessados em participar da Feira de Experiências Sustentáveis do Cerrado têm até esta segunda-feira (27), para realizar suas inscrições. É necessário residir em uma das cidades do nordeste goiano e é possível candidatar-se para receber apoio de estadia e alimentação.

Para estes expositores também haverá uma programação especial com as rodas de prosa ‘Cultura e Artesanato do Nordeste Goiano’ e ‘Artesanato de tradição: desafios e demandas’. Também serão realizadas oficinas ministradas pelo Coordenador da Rede Multiétnica Léo Porto sobre ‘Marketing Digital’ e ‘Comercialização e gestão do artesanato’.

O edital público com todas as informações necessárias está disponível no site da (Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge). Esta é uma oportunidade para os artesãos e produtores da região mostrarem seus trabalhos e integrarem-se a um evento que destaca a sustentabilidade e a riqueza cultural do Cerrado.

Programação de Shows e Oficinas

A diversificada programação incluirá, ainda, uma vertente musical de destaque, com artistas renomados como o rapper Gog, do Distrito Federal, o grupo Tambores do Tocantins e Martinha do Coco, de Pernambuco. A programação musical foi pensada referenciando ritmos que são reconhecidos como patrimônios culturais imateriais pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Além dos artistas já mencionados, o evento contará com apresentações dos goianos: Turma Que Faz e Doroty Marques, com um elenco formado pelas crianças e jovens da Vila de São Jorge, o Maracatu Leão do Cerrado, Jongo Iracema, o grupo Sambadeiras de Roda e o Trio Buritis. A proposta é aproximar o público das manifestações do Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro, cerne do Encontro, sensibilizando sobre a identidade cultural e a importância da manutenção das culturas populares.

Já as oficinas serão uma oportunidade para o público participante aprender e trocar conhecimentos. Haverá oficinas gratuitas ministradas pelo grupo Penã Folclórica, da Turma Que Faz, de tecido acrobático com Poliana Moraes, rimas de improviso com o rapper GOG, danças populares com Letícia Coralina, rádio comunitário com o grupo brasiliense Jovem de Expressão, além de oficinas de cultura popular brasileira com Maciel Salu, bambolê com Luana Bezerra e mamulengo com Chico Simões.

Essa diversidade de atividades busca não apenas entreter, mas também educar e integrar os participantes, proporcionando um mergulho profundo na riqueza cultural do Brasil.

Veja Também