Segunda-feira, 15 de abril de 2024

Universo inventado e lúdico

A mostra ‘Gulira – Inovação e Destecnologia Ltda’, da artista plástica Emília Simon, inspirada na relação com os seus três filhos, inaugura nesta quinta-feira (22), na galeria de arte do Lowbrow Lab Arte & Boteco

Postado em: 22-02-2024 às 10h00
Por: Letícia Renata
Imagem Ilustrando a Notícia: Universo inventado e lúdico
A nova exposição em cartaz alcança grande importância não só por se tornar um espaço de contato do público infantil com a arte, mas também ao destacar a necessidade de artistas mulheres, especialmente mães, ocuparem os espaços de galerias e museus | Foto: Isabela Londe

Composta por objetos tridimensionais em materiais diversos, com intervenções de pintura, dando vida a seres imaginários e reúne pinturas em papel, cerâmicas e objetos em vinil e madeira, a mostra ‘Gulira – Inovação e Destecnologia Ltda’ da artista plástica Emília Simon, inaugura nesta quinta-feira (22), a partir das 19h, na galeria de arte do Lowbrow Lab Arte & Boteco. A exposição em cartaz até o dia 31 de maio, com entrada gratuita, foi inspirada na relação de Emília com os três filhos.

“Esse mundo inventado vem sendo tema predominante no meu trabalho antes mesmo de eu me tornar mãe, e o convívio com as crianças funciona como um grande laboratório e fonte de inspiração que enriquecem cada vez mais esse universo”, diz a artista.

O curador da mostra, Roan (Rogério Andrade) enfatiza, inclusive, que a exposição é uma atração muito interessante para o público infantil. “Esse universo representado por uma artista que ao longo de sua experimentação explora uma estética do excêntrico, dialoga tanto com o público infantil quanto adulto, tornando-se um espaço convidativo para famílias que buscam expandir o contato de crianças com a arte”, observa o curador.

Continua após a publicidade

A nova exposição em cartaz alcança grande importância não só por se tornar um espaço de contato do público infantil com a arte, mas também ao destacar a necessidade de artistas mulheres, especialmente mães, ocuparem os espaços de galerias e museus.

‘Gulira – Inovação e Destecnologia Ltda’, chega como um produto desse grande laboratório analógico em que tudo vira e nada é. “Peneiras que viram máscaras, vivendo em casas-colchões aonde só se chega pelo túnel das cadeiras”, diz a artista.

O projeto é realizado com recursos da Lei Paulo Gustavo do Governo Federal operacionalizados pelo Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado da Cultura. A abertura da exposição conta com a apresentação musical de Fernandinho Quarteto no Boteco de Quintal. Para o show, pede-se a doação de 2 kg de alimentos não perecíveis a serem destinados à instituição Solidariedade, Amor e Ação.

Exposições na capital

A Vila Cultural Cora Coralina também recebe a exposição ‘Rasgo na pele’, do paraibano Luiz Barroso, nesta quinta-feira (22), das 18h30 às 21h. A mostra está montada na Sala Sebastião Barbosa e traz elementos de pintura, desenhos, rascunhos, instalações e objetos produzidos pelo artista em papel reciclado e outros materiais. A exposição fica em cartaz até o dia 22 de março, com entrada gratuita, de segunda-feira a domingo, das 9h às 17h. 

Conta com curadoria de Ricardo Peixoto, arte-educação de Elis Patrício e produção da Ensaio Brasil. Ela marca os 50 anos de carreira de Barroso. Com longa experiência internacional em residências e intercâmbios na França e Quênia, o artista é conhecido por seu trabalho com oficinas de arte-educação e um laboratório de experimentos. 

‘Rasgo Da Pele’ foi selecionada pelo edital Arte na Bagagem, de apoio à circulação artística, iniciativa do Governo da Paraíba, com apoio da Vila Cultural Cora Coralina e realização do Governo de Goiás, por meio da Secult Goiás. 

Horas antes da inauguração, das 14h30 às 17h30, Luiz Barroso irá realizar a oficina gratuita Troca de Saberes, somente para inscritos. O objetivo é, a partir de sua vivência experimental, propiciar um laboratório de criação tendo como matéria-prima o papel e suas possibilidades de construção artística. Para participar, basta mandar e-mail para ([email protected]) ou ligar para (62) 3201-9863.

‘Diálogos Cromáticos’

Em cartaz até o dia 4 de março, a exposição coletiva ‘Diálogos Cromáticos’, da Escola do Futuro de Goiás em Artes Basileu França, está aberta para visitação das 8 às 18h, de segunda a sexta-feira, com entrada gratuita. A mostra marcou o início das atividades da escola em 2024, dando ao público goianiense a oportunidade de conhecer os trabalhos do corpo de professores do curso técnico em Artes Visuais com habilitação em Desenho e Pintura.

As obras de arte selecionadas foram produzidas durante o ano letivo de 2023, trazendo técnicas de pintura acrílica, óleo sobre tela, ilustração, diorama, desenho de figura humana e outras, todas sob orientação e curadoria dos professores Alexandre Liah, Liliam Rocha, Polly Duarte, Mucio Nunes, Vinícius Yano, Fernanda Portos, Gisele Lopes e Carlos Cantini.

O nome da exposição remete ao universo das cores e aos impactos delas nos sentidos humanos. ‘Diálogos cromáticos’ apresenta, além dos traços, as cores para que sejam usufruídas pelo espectador como geradoras de emoções. De acordo com a coordenadora de Artes Visuais da escola, Gisele Jacinto, “elas também podem ter influência psicológica sobre o ser humano, ora estimulando, ora tranquilizando, pois são captadas pela visão e transmitidas ao cérebro, ocasionando impulsos e reações no corpo”, explica.

A coordenadora lembra que a exposição é fruto de um conjunto de atividades práticas e disciplinas teóricas constantes na grade curricular do curso técnico oferecido pela escola, e que recebe jovens a partir dos 14 anos de idade. “A escola acredita que as exposições de artes visuais são uma excelente forma de ensino-aprendizagem e de fomento à arte e à cultura em nossa cidade”, complementa Gisele Jacinto.

Veja Também