Queda na exportação de soja em Goiás faz balança comercial recuar pelo 2º mês consecutivo

Goiás alcançou 2,9% de participação nas exportações brasileiras e 2% nas importações

Postado em: 09-08-2021 às 15h26
Por: Alice Orth
Goiás alcançou 2,9% de participação nas exportações brasileiras e 2% nas importações. | Foto: Reprodução

Uma análise do Centro Internacional de Negócios (CIN) da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (FIEG) mostrou queda na balança comercial goiana pelo segundo mês consecutivo. O relatório foi divulgado na última sexta-feira (06/08), e aponta recuo de 34% em comparação com o mês anterior, e 36% a menos em relação ao mesmo período do ano passado.

Apesar da baixa, a balança registrou superávit de US$ 382,3 milhões no mês de julho. A exportação de Goiás atingiu US$ 750,8 bilhões em mercadorias, em especial em soja (30,9%) e carnes desossadas (19,6%). O resultado é 19% menor que o registrado em junho deste ano e 13% inferior a igual período do ano passado.

A China segue sendo o foi o principal destino das exportações goianas, com 42,2% de participação, seguida por Tailândia (5,8%) e Estados Unidos (3,7%). A Itália ganhou destaque, passando de 15º para 5º parceiro comercial goiano nas exportações, lugar conquistado com maior aquisição de farinhas e pellets.

Continua após a publicidade

“Em julho, tivemos nossa segunda queda seguida na exportação de soja. De maio para junho, a redução foi de 21% e, de junho para julho, a diminuição foi de 45%, resultado do período de entressafra que a Região Centro-Oeste passa até agosto”, explicou Lucas Ferreira, analista de Comércio Exterior da Fieg.

As importações apresentaram aumento de 6% em relação a junho, e 40% contra o mesmo mês de 2020. No âmbito das importações, Goiás registrou incremento dos números, saltando 6% em relação a junho/21 e 40% na comparação com julho/20, fechando o mês com US$ 368,4 milhões negociados. “O resultado reforça que o pior da crise pandêmica ficou para trás, com recuperação do intercâmbio comercial, inclusive superando valores negociados pré-pandemia”, disse Ferreira.

O valor de US$ 368,4 milhões foi focado em produtos químicos, adubos e fertilizantes e energia elétrica. Os países que mais enviaram ao estado foram China (24,8%), Estados Unidos (12,2%) e Tailândia (6,6%). Ainda segundo o relatório, Goiás alcançou 2,9% de participação nas exportações brasileiras e 2% nas importações, ocupando a 11ª posição no ranking nacional.

Veja Também