BC libera nova consulta a dinheiro ‘esquecido’ em bancos; saiba como evitar golpes na consulta aos valores

O novo endereço foi criado após o aumento da demanda de acesso ter provocado pane no portal do Banco Central

Postado em: 14-02-2022 às 10h12
Por: Alexandre Paes
O novo endereço foi criado após o aumento da demanda de acesso ter provocado pane no portal do Banco Central | Foto: Reprodução

O Banco Central liberou na noite do último domingo (13/2) a consulta ao Sistema de Valores a Receber (SRV), plataforma que permite verificar quantias em dinheiro esquecidas em contas de banco, e solicitar a devolução por meio do novo site. Para realizar a consulta é preciso informar o número do CPF ou do CNPJ, no caso de pessoas jurídicas.

De acordo com o balanço do Banco Central (BC), devido os problemas gerados pela alta demanda de consultas na noite de ontem, a entidade financeira suspendeu temporariamente o SVR, marcando para esta segunda-feira (14/2) a retomada do serviço. O BC calcula que haja R$ 3,9 bilhões “esquecidos”.

Atualmente, cerca de 28 milhões de pessoas físicas e jurídicas têm dinheiro para resgatar nessa primeira etapa de devolução de valores. Até a segunda etapa o SVR deve devolver até R$ 8 bilhões para pessoas e empresas que encerraram contas-correntes ou poupanças com saldo disponível, desde 2001.

Continua após a publicidade

Somente a partir do dia 7 de março será possível saber a data certa para o resgate e já solicitar a transferência bancária. Após a solicitação, os bancos terão até 12 dias úteis para depositar o dinheiro na conta bancária escolhida pelo usuário.

Como se proteger de golpes e fraudes?

Com o retorno de consultas ao sistema o usuário deve ficar atento a algumas informações, Veja a seguir as orientações do Banco Central.

  • O único site para consulta ao SVR e para solicitação de valores é valoresareceber.bcb.gov.br.
  • O BC ressalta que não envia links nem entra em contato com usuários para confirmar dados pessoais (CPF, Nome, Data de Nascimento, Endereço e demais informações).
  • Além disso, o banco instrui os cidadãos que não cliquem em links suspeitos enviados por e-mail, SMS, WhatsApp ou Telegram. E, principalmente, não realizem qualquer tipo de pagamento para ter acesso a valores.
  • Após solicitar o resgate sem informar uma chave Pix, a instituição financeira que o cidadão escolheu entrará em contato com ele para realizar a transferência do dinheiro. Mas fique atento, pois essa instituição não pode pedir que o cidadão informe seus dados pessoais nem sua senha.

Fonte: Banco Central

Veja Também