Sábado, 04 de fevereiro de 2023

Arte e desenho nos negócios: a criação de ilustrações como profissão e carreira

É necessário paciência para alcançar seus objetivos e conseguir fazer da ilustração uma forma de ganhar dinheiro

Postado em: 12-03-2022 às 16h00
Por: Iara Godoi
É necessário paciência para alcançar seus objetivos e conseguir fazer da ilustração uma forma de ganhar dinheiro | Foto: Reprodução

O desenho tem como definição no dicionário “a representação de seres, objetos etc. Feita sobre uma superfície, por meios gráficos, com instrumentos apropriados”. Uma definição objetiva não consegue trazer a profundidade real do significado de um desenho. Desenhar é uma forma de mostrar um ponto de vista, uma forma de ver e sentir o mundo. 

Desde os primórdios da humanidade, antes mesmo da invenção da escrita, a arte rupestre reproduzia a natureza e os animais alvos de caças. Com o tempo e as mudanças, hoje podemos contar com profissionais na área de desenho, conhecidos como ilustradores.

Para começar a seguir a carreira, é importante bastante treino, dedicação e persistência e principalmente paciência e amor pela profissão. “Não vou mentir, é uma área bem difícil de se adaptar e infelizmente pouco valorizada, até hoje possuo certas dúvidas sobre esse mercado de trabalho e por isso procuro sempre me informar ‘certinho’ para não correr certos riscos“, comenta a ilustradora Isabela Martins, conhecida na internet como Isinha.

Continua após a publicidade

“Deve haver muita paciência pois é algo que exige tempo para conseguir oportunidades e destaque na área. Lembro no início quando comecei a publicar os desenhos que fazia e recebia pouco engajamento. Na época fiquei frustrada, mas hoje em dia percebo que não havia motivo pra desanimar já que era apenas o começo, por isso que eu sempre digo pra quem tem vontade de trabalhar com ilustração: não se preocupe com números, comece fazendo o que gosta, sem pressão ou expectativas, até porque vivemos em um país onde a arte é bem pouco valorizada, então procure só evoluir e adquirir conhecimento para poder crescer da forma que deseja sem se sentir frustrado”. Ressalta Isinha.

O reconhecimento não é rápido e muito menos segue um caminho tranquilo, já que os trabalhos como freelancer exigem que o artista receba diversas propostas, muitas delas desvalorizando seu trabalho e acreditando que a prestação de serviço não deveria ser remunerada.

”Infelizmente pessoas aproveitadoras sempre vão existir, e no meu caso, na maioria das vezes eu não respondo.Já foi comum pra mim receber mensagens dizendo que o valor que eu cobrava pelas minhas artes era muito alto, eu ficava muito apreensiva em mostrar meus preços por causa disso. Hoje em dia, tendo mais conhecimento, percebo que na verdade era um valor bem mais barato do que eu deveria cobrar. Isso me fez perceber o quanto artistas não são valorizados pelos seus trabalhos aqui no Brasil, e como muitas pessoas não tem noção de como a ilustração é uma profissão séria que merece respeito como qualquer outra. Felizmente graças a internet muitas pessoas tem buscado se informar melhor sobre esses assuntos,e espero de coração que isso faça o povo brasileiro valorizar mais nossa arte e nossos maravilhosos artistas com grandes potenciais”, diz Isabela.

Arte no Brasil

Hoje, a desvalorização da arte no Brasil é uma pedra no meio do caminho do artista, que muitas vezes acaba sendo desmotivado a continuar. Em março de 2021, com o avanço da pandemia, a Secretaria Nacional de Fomento e Incentivo à Cultura editou uma portaria em que qualquer projeto cultural que tivesse interesse em buscar patrocínio oficial, não iria passar por análise do governo, em cidades em que houvessem medidas restritivas para conter o avanço do Covid-19.

 A medida foi duramente criticada na época, por cortar incentivos durante o período em que uma grande parte de brasileiros estavam em casa, consumindo diversos meios de entretenimento e arte.”Eles deveriam agora estar promovendo atividades não presenciais. Ao contrário, ele [o governo] está mais uma vez incentivando o negacionismo e colocando a vida das pessoas em risco”, afirmou a Gestora Cultural Chris Ramirez.

Luz no fim do Túnel

No final do mês de fevereiro, foi aprovado pela Câmara dos deputados o projeto do Senado chamado Lei Paulo Gustavo, que será responsável por direcionar R$ 3,86 bilhões do Fundo Nacional de Cultura (FNC) aos estados e municípios, fomentando atividades e produtos culturais, que sofreram durante a Covid-19.

Também é possível acompanhar uma mudança no comportamento das pessoas na internet, que estão respeitando cada vez mais a comunidade de artistas, permitindo que os mesmo consigam trabalhar com o que gostam. “Com o tempo fui crescendo até descobrir que meu interesse em desenhos poderia se tornar uma profissão, e quando eu soube disso me senti inspirada de uma forma que nunca tinha conhecido antes. Lembro como eu sonhava em ilustrar uma história de quadrinhos ou trabalhar em um estúdio de animação famoso, era um sentimento muito bom porque a partir desse dia eu acreditei que poderia ser feliz fazendo o que eu amo “.  Comenta a ilustradora.

Veja Também