Mês da Mulher: 35% dos negócios em Goiás são comandados por mulheres, aponta Sebrae

Informações do Sebrae revelam que 35% dos negócios são dirigidos por elas. O número ainda é pequeno, mas aponta para o crescimento da participação feminina nos negócios.

Postado em: 09-03-2022 às 15h00
Por: Ícaro Gonçalves
Informações do Sebrae revelam que 35% dos negócios são dirigidos por elas. O número ainda é pequeno, mas aponta para o crescimento da participação feminina nos negócios | Foto: Reprodução

O mês da mulher é marcado por comemorações, mas também pela luta por maior representatividade na política e no mundo dos negócios. No Brasil, dados da Global Entrepreneurship Monitor apontam que mulheres já são mais de 30 milhões de empreendedoras. O número coloca o país em sétimo lugar no ranking mundial de empreendedorismo feminino.

Em Goiás, informações do Sebrae revelam que 35% dos negócios são dirigidos por elas. O número ainda é pequeno, mas aponta para o crescimento da participação feminina nos negócios.

A goiana Hellen Rocha era representante de medicamentos e resolveu abrir mão da estabilidade de um emprego de carteira assinada para ser a sua própria chefe. Depois de dez anos após o início da jornada empreendedora, Hellen emprega atualmente mais de 80 funcionários nas quatro lojas de moda feminina que levam o seu nome.

Continua após a publicidade

Para Hellen, ainda existem barreiras que não foram rompidas no universo do empreendedorismo feminino. Um problema grave é o machismo. “Ainda existem os que pensam que somos incapazes de gerenciar um negócio e fazê-lo prosperar. Assim como em outros países, precisamos que aqui a sociedade e os governos se unam para quebrar esses paradigmas e incentivar ainda mais o nosso empreendedorismo. Temos muito a fazer e com certeza vamos contribuir ainda mais para o contínuo crescimento econômico”, enfatiza.

Apoio ao empreendedorismo feminino

O avanço do público feminino na direção das empresas no Brasil fez com que fossem criadas linhas de crédito específicas para elas. Em Goiás, a GoiásFomento destinou mais de R$ 27 milhões entre março e outubro de 2020 por meio do programa Mulher Empreendedora.

Outras instituições também oferecem apoio e estímulo para as mulheres que desejam começar a empreender. No Sebrae, por exemplo, o programa Sebrae Delas fomenta as práticas empresariais para ajudar os negócios liderados pelo público feminino a se tornarem cada vez mais competitivos no mercado.

O incentivo também conta com a contribuição do setor público. Em Goiânia, já existe a Lei nº 10.608, de 31 de março de 2021, que estabelece diretrizes para a política municipal de estímulo, incentivo e promoção da mulher empreendedora.

Segundo o texto da lei, o objetivo é “promover o empreendedorismo da mulher por meio do incentivo à formação de micro e pequenas empresas e em atividades de pesquisa que desenvolvam ou implementem a criação de trabalho, emprego e renda para a mulher”.

Com informações da assessoria de comunicação da CDL Goiânia

Veja Também