Terça-feira, 20 de fevereiro de 2024

Restrições ao crédito preocupam lojistas nas vendas para o Natal

Entidades comerciais projetam que o gasto médio com cada presente neste ano será de R$ 105, número 5% maior em relação a 202

Postado em: 05-12-2023 às 07h30
Por: Alexandre Paes
Imagem Ilustrando a Notícia: Restrições ao crédito preocupam lojistas nas vendas para o Natal
70% das compras feitas hoje no varejo são pagas de forma parcelada no cartão de crédito | Foto: Marcello Casal Jr/ABr

O Natal é sempre muito esperado por todo mundo, tanto o consumidor quanto o empresário, e depois da Black Friday o comércio aguarda que o movimento seja grande, que as pessoas vão às ruas comprar, e que comprem principalmente online, utilize o décimo terceiro pra poder já se preparar para o Natal. A combinação de queda nas taxas de juros, recuo nos índices de inadimplência, aumento da empregabilidade e estabilização na intenção de consumo das famílias deve contribuir para levar mais consumidores às compras neste Natal, em relação a 2022.

A avaliação é da FCDL-GO (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Goiás), que vê com otimismo moderado as perspectivas de vendas no comércio varejista nesta última data comemorativa do ano. “Esse ano a expectativa é muito positiva, a gente vê uma das vendas, a gente vê um otimismo a mais do lado dos empresários, e o consumidor também está mais consciente na hora da compra. Então, ele vai comprar, mas vai comprar mais de forma mais consciente”, explica Wanderson Lima, gerente de negócios e relacionamento da CDL Goiânia.

Nesse ano as famílias estão mais endividadas. Uma pesquisa realizada pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) com o SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) aponta que um a cada três trabalhadores pretende usar o 13o salário para fazer compras no Natal. E outro levantamento, também das duas instituições, estima que o amigo secreto deve movimentar R$ 8,0 bilhões na economia brasileira nestas últimas semanas do ano, volume quase 20% maior em comparação ao valor então estimado para o ano passado, de R$ 6,7 bilhões.

Continua após a publicidade

A leitura da FCDL-GO, porém, é que o consumidor tende a voltar para casa com as sacolas nem tão cheias como gostaria. Isto porque as instituições financeiras estão mais seletivas na aprovação de crédito, limitando, assim, as compras no crediário ou no cartão de crédito. Segundo o Ministério da Fazenda, 70% das compras feitas hoje no varejo são pagas de forma parcelada no cartão de crédito.

“Apesar dos juros estarem caindo, o consumidor ainda enfrenta muitas restrições para ter acesso a crédito. Isso, claro, é um ponto de preocupação do comércio, que depende em grande parte das compras parceladas; elas são, seguramente, o carro-chefe dos meios de pagamento no varejo”, analisa o presidente da FCDL-GO, Valdir Ribeiro.

Nas projeções da FCDL-GO, que representa as CDL’s goianas, o valor médio de cada presente comprado para o Natal de 2023 deve chegar a R$ 105. É um montante 5% maior em comparação com o valor calculado para a mesma data no ano passado. Roupas, calçados e acessórios do vestuário; eletrodomésticos e eletroeletrônicos; brinquedos; e itens de perfumaria e cosméticos tendem a ser os produtos mais comercializados no comércio varejista goiano até o dia 25 de dezembro.

Embora ainda não tenham sido divulgadas pesquisas com números diretamente do Natal, acreditamos num provável aumento de 5% nas vendas neste ano. Isso sinaliza um breve avanço em relação às vendas em 2022. “Tradicionalmente, o consumidor vai às lojas no Natal para comprar artigos de uso cotidiano, como roupas, calçados e acessórios do vestuário. Nós entendemos que esse cenário tende a se repetir este ano, movimentando as vendas também de eletroeletrônicos, celulares, brinquedos e itens de perfumaria e cosméticos”, aponta Valdir.

Al da compra de presentes, o Natal movimenta não só a parte do comércio, mas toda parte em geral, como o setor de serviços, hotelaria, turismo, viagens, restaurantes, alimentação e passeios. “Todas as empresas podem aproveitar dessa data. Sempre falamos mais da compra de presentes, só que esses setores mencionados devem aproveitar esse momento para poder utilizar o marketing e atrair o consumidor para dentro da sua empresa com o intuito de vender mais, prestar serviço e com isso conseguir um resultado positivo”, finalizou Wanderson.

Veja Também