Quarta-feira, 28 de fevereiro de 2024

Ministro Alexandre Padilha discute política econômica e desafios na articulação com o Congresso em entrevista

Crescimento econômico, programas sociais e construção de uma agenda realista são destacados pelo ministro

Postado em: 07-12-2023 às 23h05
Por: Luana Avelar
Imagem Ilustrando a Notícia: Ministro Alexandre Padilha discute política econômica e desafios na articulação com o Congresso em entrevista
Perspectivas futuras incluem cooperação com governos estaduais e enfrentamento da polarização política. | Foto: Câmara dos Deputados

Em uma entrevista recente ao Fórum Onze e Meia, o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, abordou aspectos cruciais da política econômica e a dinâmica de articulação do governo com o Congresso Nacional. Em uma análise dos últimos sete anos, desde o impeachment de Dilma Rousseff, Padilha ressaltou que o Brasil não registrava simultaneamente crescimento econômico, taxa de desemprego abaixo de 8%, e inflação controlada.

O ministro destacou o papel essencial do consumo das famílias no atual cenário econômico, enfatizando que o ano de 2023 deve encerrar com um crescimento de 3%. Padilha observou que programas sociais, como o Bolsa Família, e a retomada da industrialização têm contribuído para esses indicadores positivos.

A entrevista também abordou desafios na articulação do governo com o Congresso, identificando mudanças na dinâmica política após o impeachment e durante o mandato de Bolsonaro. Padilha discutiu a importância de desativar a “máquina de geração de conflitos” e construir uma agenda de votação realista, respeitando o perfil do Congresso.

Continua após a publicidade

No que diz respeito aos objetivos do governo, Padilha apontou conquistas importantes, como a taxação de fundos exclusivos e a reformulação do CARF. Ele expressou confiança na consolidação do equilíbrio econômico, enquanto detalhava a discussão sobre o orçamento para o próximo ano e a conclusão das votações dos programas sociais.

Finalmente, a entrevista tratou das perspectivas futuras, reconhecendo os desafios de reconstruir o país após crises e destacando a preocupação do presidente Lula com a segurança pública. O ministro ressaltou a necessidade de cooperação com os governos estaduais e a complexidade de enfrentar questões de polarização política em um contexto democrático.

Veja Também