Após decepções, Atlético-GO busca o quinto estrangeiro na década

Historicamente o Atlético Goianiense não contrata muitos jogadores estrangeiros, e talvez por isso pegou muitos torcedores de surpresa ao contratar Brian Montenegro.

Postado em: 29-07-2021 às 18h34
Por: Felipe André
Atacante que pertence ao Olimpia-PAR, será emprestado ao Atlético-GO por uma temporada | Foto: Divulgação

Historicamente o Atlético Goianiense não contrata muitos jogadores estrangeiros, e talvez por isso pegou muitos torcedores de surpresa ao contratar Brian Montenegro. O atacante paraguaio, que pertence ao Olimpia-PAR e será emprestado por uma temporada ao time goiano, com opção de compra após esse período, desembarca em Goiânia neste domingo (1/8) para realizar exames médicos e posteriormente assinar o novo vínculo para se tornar apenas o quinto estrangeiro na década atleticana. Na lista não entram Chico e Jarro Pedroso, que nasceram no Brasil e possuem dupla nacionalidade.

Em situações diferentes, mas nenhum estrangeiro realmente empolgou a torcida atleticana. O mais recente a atuar no time profissional talvez foi o mais pedido para que se ganhasse oportunidades, mas o extracampo falou mais alto. O jovem Henry Vaca, 23 anos, chegou com status de “Messi boliviano” devido às atuações que teve pelo The Strongest e pela própria seleção de base do seu país.

Com polêmicas fora de campo e muitas fotos em viagens durante a pandemia, Henry Vaca disputou apenas alguns minutos de um jogo oficial. O jogador entrou na reta final no duelo contra o Grêmio, pela Série A, em Goiânia, não mostrou nada de diferente e as ações fora das quatro linhas falaram mais alto e ele teve o contrato rescindido antes da hora. Atualmente defende o Oriente Petrolero-BOL, com cinco gols em 11 jogos.

Continua após a publicidade

Mas Henry Vaca não foi o último estrangeiro no Atlético Goianiense. Jardel Erazo não chegou a subir para o profissional, mas foi anunciado em outubro de 2020 com direito a publicação nas redes oficiais do clube, feito nada comum para atletas da categoria de base. Chegando do Independiente Del Valle-EQU, o equatoriano ficou meses disputando apenas jogos-treino, já que não estava regularizado e quando finalmente foi, participou das duas primeiras rodadas do Brasileirão Sub-20, não rendeu e teve seu contrato rescindido na última semana.

Os dois últimos estrangeiros contratados fizeram parte de outra realidade, a da disputa da Série B. O último foi o paraguaio Hector Bustamante. O jogador chegou na reta final da campanha da segunda divisão, participou de nove jogos, não marcou nenhum gol, mas ajudou a equipe na conquista do acesso para a primeira divisão. Foi o segundo clube dele no Brasil, após passagem pelo Novo Hamburgo, mais recentemente foi dispensado pelo Santa Cruz, que vive má fase na Série C.

O primeiro estrangeiro da década do Atlético-GO, também disputou a Série B, mas em 2015. Nascido em Luanda, na Angola, Geraldo chegou ainda nas categorias de base no futebol brasileiro e passou pelo Rio Claro-SP, mas se destacou pelo Coritiba, onde ainda chegou a ser emprestado para o Paraná e Red Bull Brasil. Seu último time no país foi o próprio time goiano, onde participou de 15 jogos e marcou um gol, diante do Ceará na Série B. Atualmente está no futebol turco.

Veja Também