Jorginho critica postura de Abel Ferreira; Palmeiras classifica atitude como xenófoba

Segundo o treinador atleticano, o português faltou com respeito ao árbitro catarinense Ramon Abatti Abel, aplaudindo-o de forma irônica e chamando-o de cego.

Postado em: 17-06-2022 às 19h18
Por: Breno Modesto
Para Jorginho, Abel Ferreira foi desrespeitoso em sua maneira de tratar o árbitro do duelo entre Palmeiras e Atlético Goianiense | Foto: Bruno Corsino/Atlético-GO

Na última quinta-feira (16), o Atlético Goianiense sofreu sua quinta derrota na Série A do Campeonato Brasileiro. Jogando no Allianz Parque, o time comandado pelo técnico Jorginho até saiu na frente, mas foi goleado pelo Palmeiras por 4 a 2, resultado que levou o Rubro-Negro de volta para a zona de rebaixamento da competição nacional.

Ao fim da partida, o comandante atleticano lamentou bastante o revés, mas frisou que seus comandados mereciam ter voltado de São Paulo com um resultado melhor. Para Jorginho, o Alviverde é uma equipe letal em seus contra-ataques e que não precisa de tantas oportunidades para convertê-las em gols. Por isso, ele entende que seus time está de parabéns pela luta e pela entrega.

“Contra uma equipe de extrema qualidade, como é o Palmeiras, é fatal. E foi mortal. Nós lamentamos muito, pois merecíamos, com certeza, um resultado melhor. Mas, como eu falei, a equipe do Palmeiras é muito qualificada. Não podemos nos esquecer que é o líder da competição e que não tomava gols havia seis jogos. Então, não é qualquer equipe. Eles não precisam de tantas oportunidades para fazer os gols, porque possuem muita capacidade. O poderio do ataque do Palmeiras é muito forte. Então, minha equipe está de parabéns pela luta e pela entrega. Infelizmente, aconteceu esse apagão. É algo que precisamos trabalhar, mas que bom que eles reagiram no segundo tempo”, analisou Jorginho.

Continua após a publicidade

No entanto, o momento principal da entrevista coletiva de Jorginho não foi sobre o jogo, mas, sim, sobre o técnico do Palmeiras, Abel Ferreira, e sua comissão técnica. Segundo o treinador atleticano, o português faltou com respeito ao árbitro catarinense Ramon Abatti Abel, aplaudindo-o de forma irônica e chamando-o de cego.

“Eu sou um cara muito respeitador, principalmente com o árbitro. Mas eles (comissão técnica do Palmeiras) estão faltando com respeito ao árbitro. Eles chamaram o árbitro de cego, o xingaram de tudo quanto é nome, bateram palmas pro árbitro (de forma irônica). E não aconteceu absolutamente nada. Eu relatei isso ao árbitro. Isso não é justo. O meu auxiliar técnico tomou um cartão (amarelo), o auxiliar deles tomou um cartão (amarelo), mas quem deveria ter sido expulso era o Abel (Ferreira). Eu o respeito como treinador. Ele tem feito um grande trabalho, está de parabéns por ser bicampeão da Libertadores. O trabalho é maravilhoso, mas o respeito precisa existir comigo, com a minha equipe, com o árbitro. Porque, quando ele reclama, está dando a entender que o árbitro está marcando algo a nosso favor. E, na realidade, é sempre contra nós. Então, para deixar claro, o que houve foi que eu pedi uma punição severa (ao Abel Ferreira), que não houve. E o quarto árbitro não relatou para o árbitro o que o Abel (Ferreira) fez. Então, eu lamento muito, pois não pode acontecer esse tipo de falta de respeito”, explicou Jorginho.

Jorginho completou dizendo que não é à toa que os portugueses do Palmeiras recebem cartões de forma constante pela arbitragem brasileira e que atitudes como essas de Abel Ferreira o revoltam, pois ele entende que o adversário está desrespeitando o Brasil.

“Tem que existir um cuidado maior em relação a isso. Não é à toa que ele (Abel Ferreira) e a comissão técnica tem sido expulso constantemente, porque estão faltando com respeito. Bater palmas para o árbitro (de forma irônica) é querer, literalmente, sacaneá-lo. Então, é uma coisa que me revolta como treinador e como brasileiro, pois eles vêm no nosso país e estão desrespeitando nosso país, os nossos árbitros, dizendo que eles são cegos, xingando de tudo quanto é nome. E nada acontece. Mas tudo bem. Vai ficar como se, por eu ter perdido o jogo, fosse o choro do perdedor. As coisas passam e não acontecem nada. Mas eu quero deixar esse meu protesto aqui”, concluiu Jorginho.

O Palmeiras usou suas redes sociais para responder as críticas feitas por Jorginho. A equipe paulista repudiou o acontecimento e afirmou que o técnico do clube goiano foi xenófobo ao falar de Abel Ferreira e de sua comissão técnica. Confira o post feito pelo Alviverde em sua conta oficial no Twitter:

Veja Também