William cobra ações severas contra racismo no futebol

William, jogador do Corinthians, participou de de uma entrevista ao podcast '90+3' e se pronunciou sobre os casos recentes de racismo no futebol.

Postado em: 02-08-2022 às 14h39
Por: Lorenzo Barreto
William, jogador do Corinthians, participou de de uma entrevista ao podcast '90+3' e se pronunciou sobre os casos recentes de racismo no futebol. Foto/Repordução

Desde o começo da temporada, diversos casos de racismos foram denunciados em campeonatos nacionais, mas principalmente em torneios internacionais como a Libertadores e a Copa Sul Americana. William, jogador do Corinthians, participou de de uma entrevista ao podcast ’90+3′ e se pronunciou sobre os casos recentes de racismo no futebol.

É uma pena a gente estar aqui, em 2022, e ter que falar em um assunto como esse, mas temos que falar, todo ano que passa, cada semana, todo jogo, Libertadores, Sul-Americana, tem algum caso de racismo. Acho que nós jogadores, todos nós na verdade, temos que nos unir para combater o racismo. Todo jogador que passa por isso a dor que é passar por uma situação dessa.”comentou o jogador do Corinthians.

William se posicionou sobre os recentes casos. De acordo com o meia corinthiano, é necessário mais ação dos responsáveis por coibir tais atitudes. O camisa 10 reforçou a necessidade dos jogadores de futebol se unirem contra o racismo e intolerância.

Continua após a publicidade

“Tem que ter ação, não adianta só fazer campanha, pedir que jogue sem torcida, o time que teve esse ato. De alguma forma tem que brecar o racismo, mas ação é o mais importante. Se não agir, só ficar de campanha, campanha é boa, mas não vai resolver nada. Então tem que ter ação, tem que combater, confrontar esse tipo de racismo e qualquer intolerância que pode afetar o ser humano. De alguma forma. Os clubes,jogadores tem que se unir, não só campanha, mas algo que fato possa parar com o racismo”, finalizou o jogador.

O Corinthians entra hoje em campo pelas quartas de finais pela Libertadores contra o Flamengo, às 21:30.

Veja Também