Terça-feira, 27 de fevereiro de 2024

Decisão da Justiça do Rio tira Ednaldo Rodrigues do comando da CBF

Fora do comando

Postado em: 08-12-2023 às 23h13
Por: Larissy Summer Santos
Imagem Ilustrando a Notícia: Decisão da Justiça do Rio tira Ednaldo Rodrigues do comando da CBF
Uma nova eleição será realizada até 30 dias. (Foto: Rafael Ribeiro/CBF)

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) decidiu afastar Ednaldo Rodrigues da presidência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), além de destituir Ednaldo o TJ determinou o seu substituto, José Perdiz, presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). 

Em unanimidade, três votos a zero, a decisão anulou a validade de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) acordado entre a CBF e o Ministério Público do Rio de Janeiro. De acordo com os desembargadores do caso, Gabriel Zéfiro, Mauro Martins e Mafalda Lucheses, o MP não tem competência para interferir nas regras eleitorais de uma entidade privada como a CBF. 

Com a decisão ficou anulada a eliminação ocorrida em março de 2022, onde elegeu Ednaldo Rodrigues e seus oito vice-presidentes. 

Continua após a publicidade

O TJ nomeou o presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), José Perdiz, como substituto e responsável por organizar uma nova eleição na CBF dentro do prazo de 30 dias. Perdiz chega a presidência como interventor, sete meses após assumir o STJD. 

O caso

Em 2017 o Ministério Público do Rio de Janeiro questionou na Justiça a realização, na época, de uma Assembleia Geral da CBF onde foram alteradas as regras para as eleições na entidade sem a participação dos clubes. 

No ano, o presidente da CBF era Marco Polo Del Nero e com a mudança nas regras eleitorais Rogério Caboclo foi eleito para um mandato que iria de abril de 2019 a abril de 2023. Mas em julho de 2021 foi afastado da presidência da CBF por denúncias de assédio. 

Em agosto do ano, Ednaldo Rodrigues foi nomeado pelos vice-presidentes da CBF como presidente interino até a conclusão do mandato de Rogério. Em março de 2022, Ednaldo e o Ministério Público do Rio de Janeiro assinaram um documento estabelecendo novas regras eleitorais. 

Com essas novas regras, Ednaldo se elegeu presidente da CBF como candidato único em 2022 para um mandato de quatro anos. 

Mas na época o vice-presidente contestou a tal assinatura, alegando que Ednaldo não poderia assinar o documento porque era presidente interino e poderia se beneficiar com tal acordo.

Veja Também