Investigações apontam grupo que utilizava redes sociais para induzir o suicídio

Grupo vendia remédios que, se ingeridos, levam à morte

Postado em: 29-09-2021 às 15h40
Por: Maria Paula Borges
Grupo vendia remédios que, se ingeridos, levam à morte | Foto: Reprodução

Investigadores da 6ª Delegacia de Polícia (DP) de Paranoá descobriram a existência de um grupo que usava diferentes redes sociais para induzir o suicídio, após dois moradores do Distrito Federal cometerem o ato. Segundo informações preliminares, o grupo vendia remédios que, quando ingeridos, levavam à morte.

De acordo com as investigações, uma jovem de 19 anos participava de um grupo virtual chamado “Catch the Bus” (CTBus), expressão em inglês que se refere a cometer suicídio. A jovem morreu no início de fevereiro deste ano após ingerir substância tóxica, orientação recebida pelos membros do grupo.

“A vítima, aparentemente, por meios próprios, teria ingerido a substância para testar os efeitos dela, no intuito de cometer o autoextermínio. Porém, ao perceber os efeitos graves da substância, a jovem, teria pedido socorro aos pais, ainda dentro da residência, quando contou o que havia feito. Apesar do atendimento imediato, a jovem não resistiu e veio a falecer em um hospital da Região Leste da cidade”, destaca o delegado Ricardo Viana, chefe da 6ª DP.

Continua após a publicidade

Na manhã desta quarta-feira (29/09), foi iniciada uma operação, conduzida pelo delegado Ricardo Viana, para cumprir mandados de prisão, buscas e apreensão no DF, Rio de Janeiro, Goiás e São Paulo. Por volta de 12h, três pessoas já haviam sido presas.

Veja Também