5 livros sobre a Umbanda e Candomblé para ler com calma

Conheça alguns livros que abordam as religiões de matriz africana

Postado em: 13-05-2024 às 17h19
Por: Andresa Cardoso dos Santos
Imagem Ilustrando a Notícia: 5 livros sobre a Umbanda e Candomblé para ler com calma
Imagem: Reprodução/Fernando Frazão para Agência Brasil

As religiões de matriz africana são muito presentes no Brasil. No último censo realizado no país, quase 600 mil pessoas disseram seguir esse tipo de crença no país – 407 mil praticantes de umbanda, 167 mil do candomblé e 14 mil de outras religiões, entre elas o batuque.

Para quem se interessa no tema, trouxemos 5 livros que abordam as religiões de forma leve e contextualizada. Confira:

  • Torto Arado (2019)
Reprodução/Amazon

Publicado em 2019, a obra venceu os prêmios Jabuti. O livro conta a história de duas irmãs, Bibiana e Belonísia, cuja família vive numa fazenda no interior da Bahia, trabalhando sem ganhar nada e vivendo nas terras do patrão.

Continua após a publicidade

A última parte do livro é narrada por uma entidade, Santa Rita Pescadeira. O Jarê é uma religião de matriz africana com ritos e símbolos do Candomblé, da Umbanda Omolocô e do catolicismo, praticada na região da Chapada Diamantina na Bahia. Essas informações foram retiradas de uma análise minuciosa do livro relacionando-o com a religião, publicada na plataforma Medium.

  • Umbanda pé no chão (2019)
Reprodução/Amazon

O livro aborda temas centrais na Umbanda: a descrição dos cristais e sua correlação com os Orixás nos assentamentos vibratórios, nos altares e tronqueiras, como dinamizadores energéticos nos trabalhos de cura. A estrutura astral do movimento umbandista, as formas de apresentação dos espíritos, as linhas de trabalho, as firmezas, o cruzeiro das almas, além da música sacra de terreiro, os preceitos e as consagrações.

  • Umbandas: Uma história do Brasil (2021)
Reprodução/Amazon

O livro apresenta os primeiros registros fonográficos da palavra umbanda, a origem dos patuás e qual a diferença entre eles e os amuletos. Aborda a origem dos rituais de encantamento da vida, como os que são feitos no ano-novo ou no carnaval. E a escrita se dá de tal modo que percebemos que, quer pratiquemos ou não os ritos, quer cultuemos ou não suas entidades, somos, como brasileiros, parte da história multifacetada das umbandas.

  • Mitologia dos Orixás (2000)
Reprodução/Amazon

Sinopse: Na sociedade tradicional dos iorubás, é pelo mito que se alcança o passado, se interpreta o presente e se prediz o futuro. Cada mito, portanto, é uma surpresa sempre renovada, um segredo revelado que jamais se deixa desvendar completamente. Ao narrar episódios em que se envolveram deuses como Exu, Ogum, Iemanjá e Iansã, Mitologia dos orixás chama a atenção para sentidos vitais profundos e aproxima quem lê do vasto patrimônio cultural dos negros iorubás ou nagôs.

  • Salvar o fogo (2023)
Reprodução/Amazon

O livro traz a religião como tema central, racismo religioso, aborda também a diáspora africana – que é a imigração forçada dos povos africanos durante o período de escravidão. “Uma trama permeada de traumas do colonialismo, que permanecem vivos, como uma ferida que se mantém aberta.”

Veja Também