Estado do Texas concede perdão póstumo a George Floyd por acusação de tráfico em 2004

Floyd morreu em maio de 2020 depois que o ex-policial de Minneapolis, Derek Chauvin, ajoelhou-se em seu pescoço por mais de nove minutos.

Postado em: 05-10-2021 às 12h30
Por: Ícaro Gonçalves
Floyd morreu em maio de 2020 depois que o ex-policial de Minneapolis, Derek Chauvin, ajoelhou-se em seu pescoço por mais de nove minutos | Foto: Reprodução

O Conselho Estadual de Perdão e Condicional do Texas concedeu perdão póstumo total para George Floyd, por uma acusação de tráfico de drogas em 2004. A decisão ocorreu com votos em unanimidade na segunda-feira (4/10).

O pedido de perdão foi apresentado no começo deste ano em nome de Floyd e sua família. O defensor público Allison Mathis, do Condado de Harris, disse no requerimento que o policial responsável pela prisão de Floyd em 2004, Gerald Goines, “inventou a existência de informantes confidenciais para apoiar seus casos contra réus inocentes”.

“Lamentamos a perda de George Floyd e esperamos que sua família encontre conforto na decisão de segunda-feira do Conselho Estadual de Perdão e Condicional do Texas de recomendar clemência para uma condenação de 2004 envolvendo o ex-oficial do Departamento de Polícia de Houston, Gerald Goines,” disse Kim Ogg, promotor do distrito de Harris County.

Continua após a publicidade

George Floyd foi morto em maio de 2020 pelo ex-policial de Minneapolis, Derek Chauvin, que ajoelhou-se em seu pescoço por mais de nove minutos. Chauvin foi julgado e considerado culpado pelo assassinato de Floyd. O ex-policial deverá cumprir 22 anos e meio de prisão.

A morte de Floyd causou ampla comoção e revolta em diversas regiões dos Estados Unidos e do mundo, dando origem aos protestos chamados de Black Lives Matter. No município onde ele foi morto, os manifestantes incendiaram prédios e carros como forma de protesto.

Veja Também