Coluna Xadrez: Caiado vê “convergência” com Lúcia Vânia na oposição

Postado em: 05-02-2016 às 09h07
Por: Redação

Rubens Salomão

Caiado vê “convergência” com Lúcia Vânia na oposição

O senador
Ronaldo Caiado (DEM) considera que a oposição em Goiás tem se fortalecido e que
agora é atuante, diferente de como se comportou durante todo o último mandato
do governador Marconi Perillo (PSDB), tanto que o tucano teve em 2014 a vitória
mais expressiva entre as quatro eleições que disputou ao governo. Caiado acredita
que a oposição deverá contar com a senadora Lúcia Vânia, que trocou no ano
passado o PSDB pela presidência do PSB, em evento que teve a presença de
Marconi. “Vejo convergência, porque existe um sentimento de esgotamento e esse
trabalho deve ser feito por nós. A senadora Lúcia Vânia e eu temos
intensificado a cada dia mais nossas conversas aqui no Senado, com uma sintonia
muito maior que em outros momentos e vejo a união como uma possibilidade”,
afirmou o senador depois de confirmar ter “ótimo relacionamento” com o
presidente metropolitano do PSB e pré-candidato à prefeitura, Vanderlan
Cardoso. Lideranças da base do governo, no entanto, ainda não percebem motivos
para deixar de considerar Lúcia como aliada.

‘Total simpatia’

“A ação que
estamos buscamos realmente existe e, da nossa parte, terá total simpatia para
que possamos buscar pessoas da expressão política de Vanderlan e Lúcia”,
definiu o senador à Rádio 730.

Fora da realidade

Caiado
acredita que as primeiras manifestações da presidente Dilma Rousseff (PT)
mostram que a petista estaria “desconectada”. Segundo ele, a presidente apenas
anunciou novos impostos e novas medidas ou políticas públicas.

Waldir mostra mais insatisfação no PSDB

O deputado
federal Waldir Soares, ainda pré-candidato pelo PSDB à prefeitura de Goiânia,
se revoltou com a suposta realização de reunião no gabinete do vice-governador
José Eliton (PSDB), em que o próprio vice teria buscado apoio interno no
partido à pré-candidatura do deputado Giuseppe Vecci (PSDB). “O governador
passou a fazer a articulação oficial de uma chapa branca, que é a chapa do
Vecci”, afirma Waldir. Diante disso, o delegado determinou a renúncia dos dois
indicados que tinha em comandos tucanos: presidente da Comissão Provisória do
PSDB de Aparecida de Goiânia, Allyson Ribeiro e Silva Cabral, e o
vice-presidente do Diretório Municipal de Goiânia, Carlos Soares. O deputado
ainda não confirma se de fato desistirá de disputar as prévias, marcadas para o
próximo dia 21. “Eu estou reunindo outros documentos, outras informações e
provavelmente depois do carnaval eu tenha uma resposta sobre isso. Eu quero
mais argumentos além desses”, avalia o delegado Waldir Soares.

Desconheço

O
presidente metropolitano do PSDB, Rafael Lousa, afirmou à Coluna que desconhece
qualquer tipo de envolvimento do governador Marconi Perillo ou do vice, no
processo de articulação das prévias tucanas.

Previsível

Já a
renúncia do vice-presidente do partido na Capital já era prevista, segundo
Rafael Lousa, já que Carlos Soares, então indicado de Waldir, será candidato a
vereador.

Reforço

Cerca de
3,5 mil militares das Forças Armadas chegarão ao Estado de Goiás no dia 13 de
fevereiro para auxiliar no combate ao mosquito Aedes aegypti. Foco do governo
federal é conter a transmissão do Zika vírus em oito cidades.

Adequação

O Ministério
Público pede que a prefeitura de Goiânia execute, em até 180 dias, obras de
infraestrutura urbana no Parque Lozandes, com construção de calçadas e
instalação de iluminação e placas de sinalização.

Destinação

O MP quer
definir até que o Município insirano orçamento o valor suficiente ao custeio da
implantação das obras por dotação extraordinária. A ação sugere multa diária de
R$ 10 mil, em caso de descumprimento.

Condenada

O juiz
Rodrigo Rodrigues Prudente, da 2ª Vara Cível de Valparaíso, proferiu sentença
fixando uma série de penalidades a deputada estadual Leda Borges de Moura, atual
titular da Secretaria Cidadã e ex-prefeita do município.

Decisão

Leda Borges
teria usado recursos públicos para enriquecimento ilícito por meio da
contratação da agência de publicidade no valor de R$ 2 milhões, sem licitação.

Penalização

Entre
as medidas estão perda do cargo público, ressarcimento do dano causado aos
cofres públicos (R$ 600 mil), suspensão dos direitos políticos por 8 anos, além
de multa civil de R$ 200 mil. Lêda teve bens bloqueados até o limite de R$ 800
mil. 

Compartilhe: