Governo de Goiás busca na Austrália ‘espelho’ para o Programa Inova Goiás

Postado em: 15-02-2016 às 11h52
Por: Redação
Governador Marconi Perillo busca firmar alianças com o governo Australiano

O governador Marconi Perillo (PSDB-GO) iniciou nesta segunda-feira a semana de
atividades na Oceania com foco no que considera a principal busca do Estado de
Goiás na Austrália e Nova Zelândia: apresentar Goiás ao mais jovem dos continentes
e propor acordos bilaterais para compartilhamento de projetos e investimentos
em tecnologia e modernização.

Goiás quer estar entre os estados mais competitivos do
Brasil e enxerga no estado na Nova Gales do Sul, onde fica Sydney, a melhor
oportunidade de troca de experiências para modernização e ganho de
competitividade nos setores da gestão pública e da atividade produtiva.

Acompanhado do presidente da FIEG, Pedro Alves, e de empresários
goianos, o governador foi assistir ao lançamento da Central de Inovação de
Sydney, um programa semelhante ao Inova Goiás, onde o poder público, as
universidades e o setor produtivo vão desenvolver colaboração e ampliar
investimentos para pesquisas e desenvolvimento de diversos setores da atividade
econômica e social, sempre voltados para o pioneirismo e a competitividade.

Os australianos reuniram os melhores produtores científicos
do governo, universidades e empresas no Parque Tecnológico Australiano, onde já
estão instalados os principais centros de pesquisa do país. O lançamento do
programa de inovação foi comemorado pelo governador Marconi Perillo como uma
sinalização de que Goiás está no caminho certo: “Esta busca por inovação é
exatamente o que nós pretendemos para Goiás. Já estamos construindo as bases do
que chamamos de um novo momento competitivo de nosso estado e agora queremos
buscar a interrelação colaborativa com programas semelhantes em diversos países
que investem em inovação e tecnologia”. 

Para o governador, as empresas do futuro serão atraídas por um ambiente
de inovação permanente – muito além de atrativos naturais e incentivos fiscais.

DATA 61

Marconi e comitiva foram conhecer detalhes de processos de
automação de serviços governamentais desenvolvidos pelo DATA 61, um instituto
de pesquisas avançadas da Austrália que ganhou notoriedade no mundo desenvolvendo
tecnologias inovadoras com a conexão wifi. Para falar sobre Goiás, o governador
foi recebido pelas principais autoridades do Estado de Nova Gales do Sul, onde
fica a cidade de Sydney. 

Foram apresentadas propostas de aproximação com Goiás
à diretora do departamento de Comércio Exterior da Austrália, Rhonda Piggot, de
quem o governador recebeu promessa de visitar Goiás para “trazer para os
australianos mais bases ao incremento de comércio mútuo”. A Austrália se
ressente de ter construído quase toda sua base econômica apenas no setor de
serviços e fortemente ancorada na economia chinesa.

Agora o país busca diversificação
comercial. Também se interessou por conhecer Goiás o Ministro da Indústria, Recursos
e Energia da Austrália, Anthony Roberts, que, como todo ministro australiano,
também é parlamentar e preside na Câmara de Nova Gales do Sul a comissão
Parlamentar de Amigos do Brasil.

O Ministro se mostrou impressionado com os
números e perspectivas de Goiás que mostram maiores taxas de crescimento e
produtividade do que ele conhecia sobre o Brasil. Ao governador Marconi Perillo
prometeu ações concretas de aproximação semelhantes à que seu ministério
liderou para a entrada de investidores e empresas brasileiras como Embraer,
JBS, Tramontina e Ttvus. 

A agenda mais importante do dia foi realizada na Casa
de Governo de Nova Gales do Sul, onde o indicado pela Rainha da Comunidade
Unida, o governador David Hurley, recebeu Marconi e Valéria Perillo com pompas de
chefe de estado, ao estilo das comunidades britânicas. A Austrália é
independente, mas, como várias ex-colônias britânicas, ainda guardam respeito e
submissão à rainha da Inglaterra.  David
Hurley não decide, mas influencia todo mundo que decide na Austrália. É uma
espécie de representante do povo que mantém a monarquia como um símbolo de unidade.

Os maiores resultados, no entanto, vieram do encontro da
comitiva goiana com a AUSTRADE, a comissão de comércio do Governo Australiano que
revelou a estratégia da Austrália para diminuir sua dependência do mercado
chinês: se aproximar da Alemanha, na Europa, e do Brasil, nas Américas. A
AUSTRADE já tem até brasileiros no comando de suas operações comerciais,
tamanho interesse em se relacionar com o Brasil. Foi a melhor oportunidade para
mostrar Goiás como um caminho mais rápido para alcançar resultados. E deu
certo: um grupo de técnicos da AUSTRADE será recebido pelo Governo de Goiás
junto com FIEG, FAEG e Fórum Empresarial. 

Vão iniciar um projeto de aproximação
comercial que pode transformar a Austrália em porta de entrada para os produtos
goianos na Ásia, como incentivar as relações da Austrália com as Américas e
África através do Brasil. Marconi e comitiva permanecem na Austrália na terça
feira, quando será realizado um seminário sobre Goiás para empresários e
investidores australianos.

Mais de 70 empresas confirmaram presença e interesse
sobre Goiás. Segundo o embaixador, Carlos de Abreu, Consul Geral do Brasil e
Sydney, será a primeira ação de um estado brasileiro em busca de relações
bilaterais com a Austrália. “Goiás está chegando primeiro”, disse o embaixador. Na apresentação do governador Marconi
Perillo, que fará palestra aos australianos, serão apresentadas muito mais do
que oportunidades de Goiás. O governador pretende convencer os australianos que
sua busca por novos mercados fora da Ásia (os australianos dizem que fazem negócios
com dois países: a China e a “não China”), deve começar por Goiás, onde o
Brasil dá mais resultados do que em outras partes”, nas palavras do embaixador.
Foi proposto o envio de um grupo preparativo para um grande seminário com o
setor produtivo do Centro-Oeste, para mostrar às empresas brasileiras as áreas
de interesse dos australianos.

(Assessoria)

Compartilhe: