Evento sinaliza reaproximação de Caiado e Jair Bolsonaro

Discursos mostraram que, apesar de eventuais desgastes, governador ainda flerta com Bolsonaro e vice-versa

Postado em: 21-08-2021 às 10h19
Por: Felipe Cardoso
Discursos mostraram que, apesar de eventuais desgastes, governador ainda flerta com Bolsonaro e vice-versa | Foto: Reprodução

Uma comitiva do Governo Federal, encabeçada pelos ministros João Roma, da Cidadania, e Gilson Machado Neto, do Turismo, registraram presença no Paço Municipal de Goiânia, sede do Poder Executivo Municipal, para entrega de mais de 20 veículos destinados ao uso do serviço de assistência social de 18 diferentes municípios goianos. 

A frota, composta por 18 carros Fiat Siena e quatro micro-ônibus da marca Volkswagen, estão avaliados em R$ 51,9 mil e R$  289,8 mil respectivamente. O investimento para aquisição dos veículos supera a cifra dos R$ 2 milhões, oriundos de emendas parlamentares da bancada goiana. 

Em Goiânia para entrega dos veículos, ambas as lideranças bolsonaristas foram recebidas pelo governador, Ronaldo Caiado (DEM), pelo prefeito Rogério Cruz (Republicanos), além de deputados federais, estaduais, vereadores e outras autoridades ligadas à administração municipal e estadual. 

Continua após a publicidade

Para além dos repasses que motivaram o encontro entre os governistas, chamou atenção a troca de elogios entre o governador Ronaldo Caiado e auxiliares de Jair Bolsonaro, que falaram por diversas vezes em nome do presidente. 

O primeiro a discursar foi o ministro do Turismo, Gilson Machado, que logo nos primeiros minutos reforçou que o Brasil conta com um presidente “patriota, cristão, trabalhador incansável e incorruptível”. “Ele é o maior guardião de nossa liberdade. Ninguém como ele falou tantas vezes nessa palavra nos últimos três meses. Não tenho dúvidas que ele dará seu sangue pela liberdade. Somos um governo de entregas como a que estamos vendo aqui hoje”, introduziu. 

Em uma crítica endereçada – nas entrelinhas – às gestões petistas, o ministro disse que, diferentemente do atual cenário, no passado as coisas eram decididas em encontros regados a champanhe, aos pés da Torre Eiffel, enquanto se conhecia, segundo ele, o Brasil pelo YouTube. 

“Triste é quem pensa que a gente vai desistir, agora que a gente está com vontade mesmo de trabalhar. (…) O dinheiro que ia para Cuba, Venezuela, África e Argentina agora está aqui. Filmem esses carros, esses ônibus”, disparou.

Em seguida, o ministro entregou ao governador um recado enviado pelo próprio presidente: “Ele disse que sempre que o senhor, governador, precisar, deve se sentir agasalhado em casa. Porque se não houverem recursos, nós vamos lutar para ter [e atendê-lo]”. 

“Ninguém governa sozinho”

Roma, por sua vez, ao assumir o discurso não poupou elogios ao democrata: “Já era seu admirador quando o conheci pessoalmente. À época estava sem mandato. E mesmo assim, claramente observamos que se tratava de um líder. Hoje, compartilho com ele uma amizade forjada pela admiração, respeito e exemplo”. 

Em seguida, o titular acrescentou que sua admiração por Caiado é cada vez maior. “Cada um de nós, que é líder, sabe que temos uma responsabilidade muito grande.  Uma responsabilidade sobre o que é que vai ser do nosso Brasil”. 

“A exemplo do presidente Bolsonaro, digo que este é um momento de cooperação. Ele nos chamou na residência oficial do presidente da República, o Palácio da Alvorada, os chefes de Poderes, seus ministros e governadores, o Caiado estava lá quando o presidente disse que este não é momento para queda de braço e sim de cooperação em prol dos brasileiros”, acrescentou o ministro ao defender a união de forças.

Antes de deixar o palanque, Roma considerou: “Ninguém governa sozinho, cada um dos prefeitos sabem disso, o governador sabe disso. De tal forma, o presidente também não governa sozinho”. 

Goiás aberto ao diálogo

Ao fazer uso da palavra, o governador de Goiás não escondeu a amizade que carrega com o presidente há mais de duas décadas. “Todos nós sabemos que convivemos juntos por 20 anos no Congresso Nacional, durante esse tempo construímos uma amizade. Algo em parceria, com total liberdade”, introduziu. 

Depois, o governador focou em ressaltar seu “reconhecimento” pelas obras públicas viabilizadas pela gestão Bolsonaro no Estado. “Tínhamos uma ferrovia Note/Sul que só vivia nas páginas policiais, em manchetes de corrupção. Acontece que essa mesma ferrovia estará concluída no próximo mês de outubro. Simplesmente, a maior estrutura de desenvolvimento do País”. 

Em outro trecho, ele destacou também que no próximo dia 8 de setembro, Bolsonaro virá à Goiás para autorizar, no médio Norte goiano, o início da ferrovia da integração do Centro-Oeste, ligando a ferrovia Norte/Sul ao Mato Grosso. “Isso dará oportunidade de desenvolvimento ao Norte goiano e ao Vale do Araguaia, o que garante a nós uma nova perspectiva de vida à comunidade daquela região”, pontuou o gestor.    

“Jamais neguei nossa parceria na Educação. Desafio qualquer estado a ter o que Goiás conseguiu em parceria com o ministro da Educação. Também tivemos apoio do presidente da República para implantação da primeira policlínica na cidade de Posse, Nordeste goiano, onde ele também esteve certificando os assentados, dando condição de crédito àqueles que lá produzem. (…) Graças ao presidente e ao ministro da Economia também conseguimos renegociar as dívidas”, acrescentou. 

Ao finalizar seu discurso, Caiado pediu para que o ministro Gilson retribua o gesto de cooperação ao presidente. “Goiás tem um povo ordeiro, trabalhador e determinado, um povo sempre aberto ao diálogo para que possamos mostrar que vamos escrever um grande momento na história desse País”.  

Logo após o encontro na prefeitura de Goiânia, os ministros seguiram para um almoço com o governador no Palácio das Esmeraldas. Mais tarde, participaram da inauguração da Estação da Cidadania e da Praça dos Esportes e Cultura, ambos na rua Juliano Rivas Moraes, localizada no Residencial Buena Vista IV. Os projetos tiveram investimentos na ordem R$ 3,8 milhões oriundos do Ministério da Cidadania.

Veja Também