Com Daniel na vice, Republicanos se afasta da chapa de Caiado

Partido do prefeito de Goiânia tem como prioridade a eleição do deputado federal João Campos ao Senado

Postado em: 23-09-2021 às 08h29
Por: Marcelo Mariano
Partido do prefeito de Goiânia tem como prioridade a eleição do deputado federal João Campos ao Senado | Foto: Reprodução

As eleições de 2020 elevaram o patamar em Goiás do Republicanos. O partido elegeu oito prefeitos no interior – mais do que o PSL, por exemplo, com cinco – e três vereadores em Goiânia, formando a segunda maior bancada do Legislativo municipal, inclusive com os dois mais votados.

Mas o principal destaque ficou a cargo de Rogério Cruz. Candidato a vice-prefeito de Goiânia na chapa com Maguito Vilela (MDB), ele assumiu o comando da capital, depois de ter exercido dois mandatos de vereador, com a morte do titular em decorrência de complicações da Covid-19.

Além disso, o Republicanos já contava com o deputado estadual Jeferson Rodrigues e o deputado federal João Campos, presidente estadual do partido.

Continua após a publicidade

Longe de Caiado

Mais estruturado e com o prefeito da maior cidade do estado, é natural que o Republicanos busque protagonismo nas eleições do ano que vem. Sabe-se publicamente que o principal objetivo do partido é a eleição de João Campos para o Senado.

Parlamentar experiente e com bom trânsito entre as diferentes forças políticas de Goiás, João Campos, no entanto, está cada vez mais distante da chapa do governador Ronaldo Caiado (DEM), inicialmente tido como a primeira opção.

O motivo está diretamente ligado à aproximação entre Caiado e o ex-deputado federal e presidente estadual do MDB, Daniel Vilela, que tem tudo para ser o candidato a vice-governador na chapa caiadista.

Filho de Maguito, Daniel rompeu com Rogério Cruz no início de abril e a relação entre os dois, desde então, está desgastada.

Do ponto de vista administrativo, o prefeito de Goiânia vinha se aproximando de Caiado, o que aumentou os rumores de que o Republicanos poderia estar na chapa do governador em 2022.

Porém, devido à aliança com Daniel, Rogério Cruz não esconde de mais ninguém a sua insatisfação. O problema seria especificamente com o ex-deputado federal e não necessariamente com o MDB, uma vez que vereadores emedebistas compõem a base do prefeito na Câmara Municipal e há membros do partido em cargos importantes do Paço.

Questionado pelo jornal O Hoje se aceitaria com tranquilidade estar na mesma chapa do Republicanos, Daniel, por sua vez, busca se esquivar e dá sinais de que as portas estão abertas para uma reaproximação, caso Caiado tenha interesse.

“Não é uma decisão que compete a mim”, disse o presidente do MDB em Goiás. “As decisões de coligações são pertinentes ao candidato a governador.”

Perto de Mendanha

Sobrinho de João Campos, Jhonatan Medeiros é secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação da Prefeitura de Aparecida de Goiânia. Ele também comanda o diretório do Republicanos no município.

Jhonatan Medeiros, portanto, é diretamente responsável pelo projeto de cidade inteligente, provavelmente a principal marca do prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, que deixará o MDB para disputar o governo contra Caiado.

Vale destacar que Mendanha e João Campos também têm uma afinidade por serem da mesma igreja, a Assembleia de Deus, que, a nível nacional, apoia o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Em off, duas pessoas do grupo do pré-candidato a senador confirmaram à reportagem que, de fato, ele está, no momento, mais próximo de Mendanha do que de Caiado.

Com a candidatura de João Campos ao Senado, Jeferson Rodrigues tende a ocupar seu espaço de deputado federal. Líder de Rogério Cruz na Câmara Municipal, o vereador Leandro Sena também pode tentar conquistar uma vaga em Brasília. E Jhonatan Medeiros deve ser o principal nome do Republicanos para deputado estadual. (Especial para O Hoje)

Veja Também