Quarta-feira, 28 de fevereiro de 2024

Agência Municipal do Meio Ambiente apreende faixas em que prefeito e vereadores são chamados de “traidores”

Aumento desenfreado do IPTU na Capital segue causando revolta. Novas faixas fixadas pela cidade atestam isso.

Postado em: 08-02-2022 às 07h56
Por: Felipe Cardoso
Imagem Ilustrando a Notícia: Agência Municipal do Meio Ambiente apreende faixas em que prefeito e vereadores são chamados de “traidores”
Aumento desenfreado do IPTU na Capital segue causando conflito. Novas faixas fixadas pela cidade atestam isso | Foto: Reprodução

Servidores ligados à Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma) causaram revolta na população goianiense quando, na tarde da última segunda-feira (7/2), removeram diversas faixas fixadas em regiões estratégicas da Capital contra o aumento do IPTU em Goiânia. 

Conforme mostrado com exclusividade pela equipe do O Hoje, lideranças ligadas ao movimento SOS Goiânia providenciaram diversas faixas — estima-se que aproximadamente 230 — com os nomes dos vereadores que votaram favoráveis à aprovação do novo Código Tributário de Goiânia. 

A ação representa um ato de revolta da população contra o aumento desenfreado do IPTU. De acordo com representantes do movimento, essa foi uma forma de também mostrar à população os nomes daqueles que, agora, se dizem enganados.

Continua após a publicidade

Frases como “traidores do povo” e “inimigo da gente” estão associadas aos nomes de Ronilson Reis (Podemos), Dr. Gian (MDB), Kleibe Morais (MDB), Bruno Diniz (PRTB), Marlon (Cidadania), Henrique Alves (MDB), Geverson Abel (Avante), Sargento Novandir (Sem partido), Rafael da Saúde (DC), Leo Jose (PTB), Juarez Lopes (PDT) e Sandes Jr (PP). 

Em uma delas, onde foi fixado exclusivamente o nome de Novandir, os cidadãos expressam: “a surra que o senhor levará será nas urnas, não o reelegeremos” — em alusão ao episódio onde o vereador tirou o cinto na tribuna e pediu para que um dos colegas lhe batesse pelo erro em aprovar a matéria.

Mas também haviam frases direcionadas exclusivamente ao prefeito. Em uma delas, os populares disparam: “O Crivella não se reelegeu. O prefeito Rogério Crucificador também não se reelegerá”. Horas depois de serem fixadas, fiscais da prefeitura apareceram para remover os letreiros.  

A atitude da administração pegou mal e causou revolta nas redes sociais. Um vídeo que mostra os fiscais em ação foi compartilhado, por exemplo, pelo deputado Alysson Lima (Solidariedade). A divulgação causou revolta em uma sequência de seguidores. Um deles escreveu: “gente, anote o nome de todos esses vereadores e do prefeito também. A única arma que temos é o voto. Logo logo virão as eleições e aí quando baterem na sua porta deem o troco”. 

Na sequência, outra internauta endossou, porém, direcionada unicamente ao prefeito: “Se elegeu em cima da enfermidade do Maguito Vilela. E o povo goianiense agora tem que aguentar essa coisa uns anos ainda”, lamentou. Um terceiro considerou que Cruz nunca foi um “prefeito” e sim um “defeito” para Goiânia. 

Também foram fixadas faixas como sinal de agradecimento aos vereadores Gabriela Rodart (DC), Lucas Kitão (PSL), Mauro Rubem (PT), e Santana Gomes (PRTB) “pela coerência em representar a população goianiense”. Eles foram os únicos a votar contra o texto que tramitou em setembro do ano passado pelo Legislativo. 

Só o começo

Ao O Hoje, um dos coordenadores do movimento, Marcelo Conrado, explicou que esse é só o início de uma sequência de ações já planejadas pelo grupo. “Estamos nos organizando para colocarmos outdoors, carros de som e adesivos em toda a cidade. Não estamos aqui só para criticar, estamos prontos para apresentar propostas. Temos vários segmentos com sugestões técnicas para um novo Código que garanta um equilíbrio fiscal ao município. Sabemos que a prefeitura precisa arrecadar, mas não dessa forma. De imediato, o que queremos é a revogação desse novo Código Tributário”, explicou. 

Já Adriana Dourado, que também atua como coordenadora do movimento em Goiânia, lembra que os vereadores que se disseram enganados pela prefeitura de Goiânia terão, agora, a oportunidade de se redimirem. “Eles precisam pressionar o prefeito não para cumprir o limitador de 45%, mas para colocar um limitador ligado a variação do IPCA. Capitais de todo o Brasil estão fazendo isso, mas Goiânia resolveu ir na contramão”, criticou. 

Ela também destacou, como possível solução, a proposta do vereador Lucas Kitão que busca reduzir o limite de variação do imposto de 45% para 10%. “A sociedade organizada está em uma busca constante de diálogo com a prefeitura”, garantiu. Uma nova ação do grupo está prevista para a manhã desta terça-feira (8/2). A ideia é ocupar a Câmara Municipal para cobrar, pessoalmente, dos vereadores uma posição sobre a revogação do Código Tributário. 

Poluição visual

À reportagem, a Amma informou que equipes de fiscalização realizaram ronda na manhã de ontem a fim de combater a “poluição visual” na cidade. A pasta acrescentou que a ação realizada no Setor Jardins Munique, onde foi fixada a primeira remessa de faixas contra o prefeito e os vereadores, terminou a autuação da Associação Jardins por descumprimento do Código de Posturas do Município. A Amma confirmou também a apreensão das faixas encontradas no local.  

“Além das faixas recolhidas na Av. Diogenes Dolival Sampaio, foram apreendidas faixas no setor Vila Jardim Vitória. Reforçamos que diariamente são realizadas ações de remoção de faixas irregulares instaladas em logradouros públicos”, acrescentou em nota. Procurada, a assessoria do prefeito Rogério Cruz alegou que o gestor não possui conhecimento do assunto.

Veja Também