Bolsonaro chama Fachin de comunista e diz que não vai aceitar ordens do ministro do STF

Ainda foi ao evento acompanhado de Daniel Silveira, o deputado federal carioca que foi agraciado com o indulto do presidente.

Postado em: 08-06-2022 às 15h18
Por: Rodrigo Melo
Ainda foi ao evento acompanhado de Daniel Silveira, o deputado federal carioca que foi agraciado com o indulto do presidente. | Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro aumentou o tom mais uma vez contra o Supremo Tribunal Federal (STF), nesta quarta-feira (8/6), quando afirmou que o ministro Edson Fachin é leninista, comunista, por ele ser ex-advogado do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), e por isso, não tem isenção. A declaração ocorreu em evento na Associação Comercial do Rio de Janeiro, justificando que não deve respeitar as ordens do magistrado.

Alguns dos presentes ao evento disseram que o presidente estava “on fire” (em chamas), contando “fofocas” para atingir Lula.

Ainda foi ao evento acompanhado de Daniel Silveira, o deputado federal carioca que foi agraciado com o indulto do presidente.

Continua após a publicidade

Bolsonaro volta a dizer que não cumprirá decisões do STF

Após a decisão da Segunda Turma do STF em manter a cassação do mandato do deputado estadual do Paraná Fernando Francischini (União Brasil), o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que não cumprirá mais as decisões da Corte.

“Eu fui do tempo em que decisão do Supremo não se discute, se cumpre. Eu fui desse tempo. Não sou mais. Certas medidas saltam aos olhos dos leigos. É inacreditável o que fazem. Querem prejudicar a mim e prejudicam o Brasil”, afirmou, durante o evento Brasil pela Vida e pela Família, ocorrido no Palácio do Planalto, em Brasília, nesta terça-feira (7/6).

Bolsonaro iniciou a fala criticando a decisão da Suprema Corte contra o deputado bolsonarista. Já caminhando para o final, o presidente listou as ações do STF que julga desproporcional, como a do Marco Temporal para terras indígenas.

“O Supremo está discutindo marco temporal no Brasil. Uma nova interpretação querem dar a um artigo da Constituição. E quem quer dar? O ministro Fachin, marxista leninista. Advogado do MST. O que eu faço se aprovar? Entrego a chave para os ministros do Supremo ou digo: ‘Não vou cumprir’”, bradou.

Veja Também