Número de eleitores brasileiros que votam no exterior cresce quase 40% em 4 anos

Lisboa é a cidade com maior quantidade de brasileiros habilitados a votar, com 45,2 mil eleitores. Em seguida aparecem Miami e Boston, ambas nos Estados Unidos

Postado em: 24-09-2022 às 13h39
Por: Ícaro Gonçalves
Lisboa é a cidade com maior quantidade de brasileiros habilitados a votar, com 45,2 mil eleitores. Em seguida aparecem Miami e Boston, ambas nos Estados Unidos | Foto: Reprodução

Cerca de 697 mil eleitores brasileiros com domicílio eleitoral no exterior estão aptos a votar em 2022 para os cargos de presidente e vice-presidente da República, número quase 40% maior do que o de 2018. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na última eleição, em 2018, o número de eleitores morando em outros países era de 500 mil.

Este ano, os eleitores brasileiros poderão votar em 181 cidades no exterior. A pedido do Ministério das Relações Exteriores, o TSE autorizou para as eleições 2022 postos de votação fora da sede das embaixadas e repartições consulares em 21 países.

Lisboa é a cidade com maior quantidade de brasileiros habilitados a votar, com 45,2 mil eleitores. Em seguida aparecem Miami e Boston, ambas nos Estados Unidos, com 40,1 mil e 37,1 mil eleitores, respectivamente. Também há número considerável em Nagoia, no Japão, com 35,6 mil brasileiros, e em Londres, na Inglaterra, com 34,4 mil.

Continua após a publicidade

As mulheres são maioria do eleitorado no exterior, representando 58,54%. A maior parte dos eleitores tem entre 35 e 44 anos.

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Distrito Federal é o órgão responsável por organizar a votação no exterior, com apoio de consulados e missões diplomáticas nos respectivos países.

Leia também: Redes sociais: o comitê que atrai eleitores na reta final da campanha

Eleitores

Também no exterior, o voto é facultativo para os menores de 18 anos, maiores de 70 anos e pessoas analfabetas.

Brasileiros com domicílio eleitoral no exterior que não puderem comparecer no dia da eleição terão de justificar a ausência pelo e-Título, pelo Sistema Justifica ou mediante o formulário Requerimento de Justificativa Eleitoral (a ser entregue após a eleição).

Quem mantém domicílio eleitoral no Brasil, mas estiver no exterior no dia da eleição também terá de justificar a ausência no pleito.

Com informações da Agência Senado

Veja Também