Quarta-feira, 28 de fevereiro de 2024

Aparecida recebe projeto piloto do Programa Família Acolhedora

Iniciativa foi pensada para garantir a proteção de crianças e adolescentes afastadas da estrutura familiar

Postado em: 02-12-2023 às 08h30
Por: Felipe Cardoso
Imagem Ilustrando a Notícia: Aparecida recebe projeto piloto do Programa Família Acolhedora
O encontro que selou a parceria foi realizado no Salão Verde do Palácio das Esmeraldas | Foto: Wesley Costa

A Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds) e a Prefeitura de Aparecida de Goiânia assinaram na última semana um termo de cooperação para implantação do projeto piloto do Programa Família Acolhedora no município.

O encontro que selou a parceria foi realizado no Salão Verde do Palácio das Esmeraldas, em Goiânia, e contou com a participação da coordenadora do Goiás Social, primeira-dama Gracinha Caiado, do prefeito Vilmar Mariano, além de autoridades dos Poderes Executivos estadual e municipal.

A iniciativa é um serviço pensado para a proteção de crianças e adolescentes que, em razão de casos de violência doméstica, são afastados da estrutura familiar biológica por meio de medida protetiva e recebidos por famílias acolhedoras cadastradas. Essas famílias devem apresentar certidões negativas e laudos para receber essa criança ou adolescente.

Continua após a publicidade

“É um governo espetacular que cuida do problema da acolhida, do problema do amor. Sabemos dos critérios para que esse programa seja concretizado. Tanto o Estado como o município estão focados e o resultado será positivo, tendo em vista que estamos falando de vidas em vulnerabilidade que serão acolhidas onde poderão ter condições para que sigam suas vidas no futuro”, disse o prefeito de Aparecida, Vilmar Mariano.

“Estamos há cinco meses capacitando os técnicos das secretarias para que possam trabalhar junto dessas famílias que vão receber esses jovens. O que eles mais vão precisar é de cuidado e amor para depois voltar às suas famílias que, durante esse período de distanciamento, também estarão sendo assistidas com tratamentos psicológicos”, explicou a primeira-dama de Goiás, Gracinha Caiado.

Veja Também