Quinta-feira, 29 de fevereiro de 2024

PSDB goiano terá 50% de candidaturas femininas, diz Marconi

De olho nas eleições municipais, partido levará em conta projetos, governança e desempenho nas pesquisas

Postado em: 07-12-2023 às 07h30
Por: Gabriel Neves Matos
Imagem Ilustrando a Notícia: PSDB goiano terá 50% de candidaturas femininas, diz Marconi
O PSDB tem hoje apenas 14 deputados federais e dois senadores no Congresso Nacional | Foto: Reprodução

A um ano das eleições municipais, o ex-governador Marconi Perillo afirmou que no PSDB goiano “metade dos candidatos serão homens, e metade serão mulheres” na disputa em Goiânia. Apresentação de projetos, “densidade de governança” e bom desempenho nas pesquisas quantitativas e qualitativas serão alguns dos critérios para a candidatura, segundo o tucano.

Perillo não cravou quantidade de pessoas e nem nome para a disputa à prefeitura, mas disse que a sigla tem entre os pré-candidatos o jornalista Matheus Ribeiro e a vereadora e socióloga Aava Santiago. “Todos nomes testados. Alguns mais jovens, outros mais experientes, mas pré-candidatos que com certeza vão representar bem o partido e o debate aqui em Goiânia”, afirmou Perillo em entrevista à imprensa na tarde da última quarta-feira (6) após reunião com a nova executiva estadual do partido.

Recém-eleito presidente nacional do PSDB, Perillo assume uma posição cuja principal função é recuperar o tamanho e o espaço que o partido perdeu ao longo das últimas eleições. Integrantes da sigla visam revisar a postura do partido e buscar uma mobilização para que esses números sejam melhores já nas eleições municipais de 2024.

Continua após a publicidade

Sobre esse ponto, Perillo diz que a primeira etapa dos trabalhos enquanto presidente nacional é a de ampliar a federação do PSDB, hoje com o Cidadania. “Nós vamos estabelecer diálogos com outros partidos. No nível local, dentro do possível, nós vamos procurar também alianças. E isso é salutar”, afirmou. “A gente tem que ampliar o que a gente já tem em termos de partido para um espectro mais amplo”. 

O ex-governador também afirmou que é hora de focar no equilíbrio e chamou a atenção para a questão dos extremismos políticos e a polarização. Para ele, esse não é um caminho que o PSDB deverá tomar para manter o seu espaço. “Nós vamos ter algumas ideias-força, alguns compromissos pragmáticos. Vamos mirar no equilíbrio”, declarou. “A sociedade acaba ficando cansada dessa disputa de extremo pra cá, extremo pra lá. O extremismo não é bom em lugar nenhum no mundo. Nós vamos procurar apresentar um projeto de boa gestão e de governança que atenda os interesses do povo, principalmente do povo pobre.”

A reunião de Perillo com a nova executiva estadual ocorreu um dia após o PSDB divulgar nota negando aproximação com o PT em Goiás. Segundo o partido, “não existe qualquer diálogo nesse sentido”. “Qualquer manifestação de apoio a outros partidos ou aos seus pré-candidatos ocorre de forma isolada”, segue a nota. “Trabalhamos para lançar uma candidatura própria do partido para a eleição municipal em Goiânia em 2024”, arremata.

Substituindo o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, Perillo foi eleito presidente nacional do partido durante convenção que ocorreu no dia 30 de novembro para um mandato de dois anos. O deputado federal Aécio Neves (MG) é considerado o principal articulador da indicação de Perillo para presidência da sigla. Durante a reunião, Eduardo Leite afirmou que estará junto com o novo presidente durante a gestão.

O PSDB tem hoje apenas 14 deputados federais e dois senadores no Congresso Nacional. Após as eleições de 2014 eram 54 e 11, respectivamente. O partido não elegeu nenhum governador em primeiro turno nas eleições de 2022. No segundo turno, elegeu três. Perdeu ainda o controle histórico que manteve por quase 30 anos sobre São Paulo, dada a vitória de Tarcísio de Freitas (Republicanos).

Leite afirmou na convenção que será um desafio para a legenda eleger muitos prefeitos em 2024. Ele diz que a expectativa é conseguir comandar municípios relevantes e ter um bom resultado no ano que vem. De volta, porém, ao PSDB goiano, o comando da sigla ficará, agora, com o ex-deputado e ex-prefeito de Goianésia, Hélio de Sousa. 

Veja Também