Segunda-feira, 26 de fevereiro de 2024

PSD pode apoiar Eurípedes do Carmo para prefeitura de Bela Vista

Ex-prefeito da cidade é visto como um dos nomes mais competitivos na disputa ao Paço municipal

Postado em: 30-01-2024 às 09h30
Por: Redação
Imagem Ilustrando a Notícia: PSD pode apoiar Eurípedes do Carmo para prefeitura de Bela Vista
Dos mais de 5.500 municípios, o PSD tem 968 prefeitos filiados | Foto: Reprodução

Felipe Cardoso e Francisco Costa

Bela Vista de Goiás tem, pelo menos, quatro pré-candidatos à prefeitura para suceder a prefeita Nárcia Kelly (PP), já em segundo mandato. Um deles é o ex-prefeito Eurípedes do Carmo, presidente do Podemos em Goiás e que pode ter um apoio de peso na disputa.

Ao Jornal O Hoje, o presidente do PSD, senador Vanderlan Cardoso, falou sobre a amizade com Eurípedes e declarou que o partido pode apoiá-lo na disputa deste ano. Atualmente, a legenda do congressista é uma potência no País. 

Continua após a publicidade

Dos mais de 5.500 municípios, o PSD tem 968 prefeitos filiados. Presidido nacionalmente por Gilberto Kassab, o partido elegeu 660 gestores em 2020, mas garantiu a migração de mais de 300 no decorrer destes quase quatro anos. 

De volta a Vanderlan, que é pré-candidato à prefeitura de Goiânia, ele afirmou que começaria a conversar com presidentes de diferentes partidos nesta semana para “definições pelo Estado”. “Em Bela Vista de Goiás, o PSD pode apoiar Eurípedes. Sou incentivador dele estar na política. Como prefeito de Bela Vista, ele fez um excelente trabalho. Então, é difícil ele não ser candidato. É igual o meu caso em Goiânia”, pontuou o congressista.

Mas não é só isso. Do Carmo ainda teria outro “trunfo”. Ele goza do apoio e confiança do governador Ronaldo Caiado (União Brasil). O ex-prefeito também pode ter o apoio de parte significativa das igrejas evangélicas.

Pré-candidatos

Como mencionado, um dos pré-candidatos à prefeitura de Bela Vista é o ex-prefeito Eurípedes do Carmo. Ele disputou a corrida com Nárcia, em 2020, mas foi derrotado. A atual prefeita se reelegeu com 55,25% dos votos válidos contra 44,44% do ex-gestor. 

Nárcia foi vice de Eurípedes no passado. Em 2014, ela chegou a dizer em um site que foi insultada por membros do grupo do então prefeito. Naquele momento, ocorreu a exoneração de alguns secretários durante as férias dele. Houve um racha, mas, em 2020, ela afirmou não haver animosidades. 

Dessa vez, sem ela, Eurípedes pode ter destaque. A prefeita, todavia, deve tentar emplacar sucessor. No caso, o vice-prefeito Juliano Moreira (PL), que esteve com ela nos dois mandatos. 

Outra possibilidade é Dione do Cará, presidente da Câmara Municipal filiado ao Progressistas, mesmo partido de Nárcia. “Vamos apoiar aquela pessoa, homem ou mulher, do nosso grupo político que estiver em primeiro lugar na preferência da população, o que será aferido por meio de pesquisas”, declarou ela, em agosto deste ano ao podcast Bate-papo NG.  

E há, ainda, outro ex-prefeito, Marcos Teles, do PT do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Como Eurípedes, a população reconhece a boa gestão do petista. Além do próprio chefe do Executivo Federal, ele também terá, se confirmado candidato, apoio do Secretário Executivo do Ministério de Relações Institucionais da Presidência República, Olavo Noleto.

A depender de como estará a gestão do presidente, em 2024, o apoio pode somar com a lembrança da população em relação ao mandato. O mesmo pode se dizer de Eurípedes do Carmo.

Partido pode ter candidatura própria em Goiânia, Anápolis e Aparecida

À reportagem, o presidente do PSD e pré-candidato na disputa deste ano pela capital ainda falou sobre os preparativos para a corrida eleitoral nas principais cidades da região metropolitana. 

Nos bastidores da política goianiense, vale lembrar, o congressita já é visto como ‘nome certo’ na disputa. Conforme antecipado pelo O HOJE, o senador vê poucas chances de composição com o PT. O Partido dos Trabalhadores tem como pré-candidata a deputada federal Adriana Accorsi. 

Segundo Vanderlan, houve conversa, mas não foi além disso. “Dialogamos ao ser procurados. É natural. Mas eu devo firmar candidatura. As pesquisas, hoje, indicam eu e a Adriana no segundo turno”, avalia sobre levantamentos que teve acesso. 

Sobre rumores de uma troca de apoio, pensando em 2026, o senador diz que isso não existe. De acordo com ele, não é possível tratar tão longe. 

Além disso, ele lembra que o PSD já tem pré-candidato à presidência, como o governador do Paraná, Ratinho Júnior. “E caso o PSD não tenha um candidato, será muito difícil eu não apoiar o governador Ronaldo Caiado (União Brasil)”, acena ao chefe do Executivo goiano, que já se colocou como pré-candidato ao Palácio do Planalto. 

E continua sobre a composição: “O PT também não tem como abrir mão. O PT quer ter candidato. Mas [admito que] minha posição é mais confortável, pois tenho três possibilidades: disputar a prefeitura de Goiânia este ano ou, em 2026, disputar o Senado ou o governo.”

Vanderlan, contudo, reforça ter ótimo relacionamento com Adriana e diz que não fecha portas. “Não posso. Também não posso não dialogar. Mas meu nome vem crescendo e a rejeição, que já era pequena, baixando. Ainda assim, tudo tem que ser muito bem pensado.”

Para além da capital, alvo da cobiça de grandes players políticos, as vizinhas Aparecida de Goiânia e Anápolis também estão na mira de diferentes partidos políticos; e com o PSD não seria diferente. 

Segundo o senador, Ademir Menezes, que é uma das lideranças cotadas para disputa em Aparecida, aparece bem pontuado nas pesquisas internas. Com isso, Vanderlan garante que a decisão caberá exclusivamente a ele. “Recebemos levantamentos que o mostram muito bem. Ele decidindo ir para a disputa terá todo o apoio e garantia de respaldo do partido”. 

Caso decida mergulhar na briga por Aparecida, Ademir tende a figurar como uma espécie de ‘terceira via’; uma alternativa aos nomes do atual gestor Vilmar Mariano (MDB) e Professor Alcides (PL), que lidera a oposição.

Ao comentar sobre as movimentações em Anápolis, o pré-candidato em Goiânia disse que o vice-prefeito da cidade, Márcio Cândido, se filiou ao partido para ser candidato. “Existe esse compromisso”, disse. Porém, se o plano não for viabilizado, Vanderlan diz que dará início às conversas que miram uma eventual composição. O plano A do partido, porém, segue restrito ao nome de Cândido.

Assim como Ademir em Aparecida, caso Cândido entre na briga por Anápolis tende a representar uma alternativa aos nomes de Márcio Cândido, do MDB, e Antônio Gomide, do PT. 

Veja Também