Segunda-feira, 15 de abril de 2024

Pesquisa aponta que 50% dos eleitores acham justo a prisão de Bolsonaro e 40% acreditam ser um erro

A avaliação semelhante é feita sobre a decisão que tomou o político inelegível, 50% da população afirma que a decisão da Justiça Eleitoral acertou, e 40% tratam a sentença como um erro

Postado em: 28-02-2024 às 12h42
Por: Matheus Santana
Imagem Ilustrando a Notícia: Pesquisa aponta que 50% dos eleitores acham justo a prisão de Bolsonaro e 40% acreditam ser um erro
Em termos regionais, a percepção sobre a justiça da prisão de Bolsonaro varia. Nas regiões Sudeste e Nordeste, predomina a visão de que seria justa, enquanto no Sul a opinião é contrária | Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Segundo a pesquisa Genial/Quaest, divulgada nesta quarta-feira (28), 50% dos eleitores brasileiros acreditam que seria justo a prisão do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), enquanto 39% consideram a medida injusta. A avaliação semelhante é feita sobre a decisão que tomou o político inelegível, 50% da população afirma que a decisão da Justiça Eleitoral acertou, e 40% tratam a sentença como um erro.

A pesquisa foi realizada entre os dias 25 e 27 de fevereiro e o levantamento também verificou que 53% dos brasileiros estavam sabendo da manifestação, mas 47% não. Pensando mais adiante, 48% dos eleitores que foram entrevistados, dizem que o ato de Bolsonaro na Avenida Paulista não vai influenciar nas investigações contra o ex-presidente e aliados.   

A opinião sobre a possibilidade de prisão de Bolsonaro, atualmente sob investigação da Polícia Federal (PF) por suposto envolvimento em uma trama golpista em seu governo em 2022, varia de acordo com diferentes segmentos da sociedade brasileira.

Continua após a publicidade

Entre aqueles com renda de até 2 salários mínimos, a maioria (54%) considera justa uma eventual prisão, em comparação com 33% que discordam. Nas faixas de renda mais elevadas, o cenário é mais equilibrado, com um empate técnico: 49% acreditam que seria justa a prisão entre aqueles que recebem de 2 a 5 salários mínimos, enquanto 42% discordam; entre os que possuem renda superior a 5 salários mínimos, 47% consideram justa a prisão, enquanto 45% veem como injusta.

As percepções também variam entre os grupos religiosos. Entre os evangélicos, a maioria (56%) vê uma eventual prisão como injusta, em comparação com 36% que consideram justa. No entanto, entre os católicos, a opinião é inversa, com 55% a favor da justiça na prisão e 34% discordando. Entre os que professam outras religiões e os que não têm religião, a maioria também vê a prisão como justa: 62% a 29% e 58% a 27%, respectivamente.

Em termos regionais, a percepção sobre a justiça da prisão de Bolsonaro varia. Nas regiões Sudeste e Nordeste, predomina a visão de que seria justa, enquanto no Sul a opinião é contrária. As regiões Centro-Oeste e Norte mostram um empate técnico nessa questão.

Os dados são resultados de uma pesquisa realizada com 2 mil pessoas com idade igual ou superior a 16 anos, por meio de entrevistas face à face. A margem de erro estimada é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos, com um intervalo de confiança de 95%.

Veja Também