Segunda-feira, 15 de abril de 2024

Lucas Kitão troca PSD por UB e vai apoiar Sandro Mabel na capital

Vereador desiste de pré-candidatura a prefeito e tentará renovar mandato na Câmara Municipal

Postado em: 03-04-2024 às 09h30
Por: Gabriel Neves Matos
Imagem Ilustrando a Notícia: Lucas Kitão troca PSD por UB e vai apoiar Sandro Mabel na capital
Vereador desiste de pré-candidatura a prefeito e tentará renovar mandato na Câmara Municipal | Foto: Reprodução

O vereador Lucas Kitão deixou o PSD e filiou-se ao União Brasil nesta terça-feira (2). Ele decidiu desistir da pré-candidatura a prefeito de Goiânia para tentar renovar seu mandato na Câmara Municipal nas eleições deste ano. O parlamentar confirmou ao HOJE que apoiará o presidente da Federação das Indústrias de Goiás (Fieg), Sandro Mabel, na disputa pela Capital. 

A reportagem apurou que Kitão foi convidado a trocar de legenda pelo governador Ronaldo Caiado (UB) e também por Mabel. Houve reunião do parlamentar com ambos para acertar a decisão. De acordo com pessoas a par do convite, o argumento de possibilidade de chapa à vereança no União Brasil foi fundamental para o aceite. 

Nesta terça-feira, o vereador reuniu-se na Câmara Municipal com o ex-deputado federal Vilmar Rocha, que já havia sugerido, em entrevista ao HOJE na semana passada, que Kitão deixasse o PSD após ter sido preterido no caso das prévias e a confirmação da pré-candidatura do senador Vanderlan Cardoso (PSD) à Prefeitura de Goiânia.

Continua após a publicidade

O encontro com Vilmar foi para validar a decisão de migrar para a sigla de Caiado. “Foi uma decisão bem conversada com todos. O Vilmar validou e disse: ‘É uma boa opção. Você vai estar num grupo forte, que tem expectativa, que tem candidato. O governador é companheiro dos companheiros. É uma boa escolha’”, relatou Kitão ao HOJE. 

Ao comentar os motivos que o levaram a deixar o PSD, o vereador confirma que o impasse com relação às prévias internas do partido foi um dos pontos determinantes para tomar a decisão. “A partir do momento que a gente não tem espaço de diálogo no partido, não faz sentido, né? Mesmo que eu tenha o sonho de disputar, eu não vou ficar preso a ele e deixar de contribuir com a cidade”, disse.

“Pensando bem, é uma forma que eu tenho de dar um passo para trás e ao mesmo tempo participar da discussão para Goiânia — e o Sandro Mabel se mostrou muito aberto a isso, a ouvir as nossas ideias, o que a gente tem para somar”, sustenta o vereador, que também acrescenta ter afinidades com o empresário por causa do setor produtivo. 

Ainda segundo Kitão, a conversa com o governador não focalizou no tema Vanderlan Cardoso, mas se resumiu ao clamor de “unificar a base, unir forças e construir um projeto à altura de Goiânia”. “Isso era o que eu sempre colocava nos meus discursos”, reiterou o vereador. Em resposta lacônica sobre o tempo que esteve filiado ao PSD, ele afirmou: “Para a militância do PSD, só tenho a agradecer. Fui muito bem recebido nesse tempo que estive lá.” 

A ida de Kitão para o União Brasil encerra uma temporada de racha interno no PSD desde que o vereador havia decidido disputar a Prefeitura de Goiânia diante da indefinição de Vanderlan Cardoso. Sem prosperar, houve tentativa de realização de prévias para saber quem os correligionários queriam na corrida pelo Paço, além de críticas escancaradas e veladas de alas da legenda que culminaram no anúncio, na semana passada, de Vanderlan, ao lado de Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD, confirmando pré-candidatura a prefeito da Capital.

Veja Também