Cuidadora de abrigo com mais de 200 animais morre de Covid e voluntários pedem ajuda

O Aadarpa é uma organização não governamental e os voluntários afirmaram que é possível ajudar com diversos tipos de doação

Postado em: 15-08-2021 às 13h34
Por: Carlos Nathan Sampaio
O Aadarpa é uma organização não governamental e os voluntários afirmaram que é possível ajudar com diversos tipos de doação | Foto: divulgação

Voluntários do Abrigo dos Animais Refugados, que atende cerca de mais de 200 bichos abandonados e vítimas de maus-tratos, comunicou, neste domingo (15/08) o falecimento da cuidadora Lívia Denise Camargo Borges dos Passos. Responsável pelo Aadarpa, ela estava internada há mais de 40 dias devido a Covid-19 e faleceu em decorrência de complicações da doença, no Hcamp de Goiânia.

“Nossa Lívia merece todas as homenagens e todo o respeito nesse momento. Ela fez um amor transbordar e unir coração nessa comunidade que temos muito orgulho de fazer parte. Uniu voluntários, clínicas veterinárias, seguidores e apoiadores numa rede do bem que manteve a Família Refugados viva”, afirmaram em nota.

Os voluntários, agora, afirmam que precisarão de ajuda para manter o local. “Vamos estar aqui prontos pra fazer o melhor que pudermos e Deus nos permitir para manter o legado dessa mulher doce, batalhadora, engraçada, forte que todos aqui amam demais”, informaram.

Continua após a publicidade

Ajuda

O Aadarpa é uma organização não governamental e os voluntários afirmaram que é possível ajudar com doação de ração, medicamentos, produtos de limpeza, valores em dinheiro e cadastro de doação mensal pela plataforma Apoie-se, com cobrança automática a partir de R$ 1.

Como o abrigo tem CNPJ, as doações podem ser feitas para que os voluntários possam continuar ajudando no tratamento e alimentações dos animais. Pix podem ser enviado para [email protected]

História de cuidados

Lívia começou a cuidar dos bichinhos há cerca de 25 anos, quando adotou uma cadela machucada com vários filhotes. Desde então, ela se dedica aos bichinhos. Sua última realização foi conseguir o CNPJ e realizar o sonho do abrigo finlamente se tornar uma ONG.Os gastos mensais do local são de cerca de R$ 20 mil por mês com ração, atendimentos veterinários, remédios, entre outros.

Veja Também