Técnica de enfermagem é agredida por se negar a prescrever receita sem aval médico

Postado em: 22-03-2022 às 15h11
Por: Cecília Sampaio
A técnica em enfermagem Maria do Livramento explicou ao homem que o receituário tarja preta só poderia ser passado após uma consulta com o plantonista | Foto: Reprodução

Uma servidora da saúde afirmou ter sido agredida por um homem que disse ser advogado, após negar dar receita de psicotrópico sem uma consulta médica, nesta segunda-feira (21/3). A esposa do advogado teria dado um tapa na vítima na Unidade Básica de Saúde (UBS 5) em Taguatinga, no Distrito Federal.

A técnica em enfermagem, Maria do Livramento, explicou ao homem que o receituário tarja preta só poderia ser passado após uma consulta com o plantonista, inclusive pelo  tipo de receituário precisar da assinatura de um médico. Isso fez o paciente se exaltar e chamar sua esposa, que deu um tapa no rosto da servidora.

Foi registrada ocorrência na 12ª Delegacia de Polícia de Taguatinga como “vias de fato e lesão corporal leve”. O caso pode ser agravado uma vez que foi feito desacato a funcionário público no exercício da função ou em razão dela é crime previsto no artigo 331 do Código Penal, podendo ter sua pena variando de 3 meses a 2 anos.

Compartilhe: