Conheça Richard Bernard, condenado a morte nos EUA que foi obrigado a escolher entre fuzilamento ou cadeira elétrica

Postado em: 21-04-2022 às 15h24
Por: Cecília Sampaio
Em 2001, quando foi condenado por matar o balconista James Mahoney, ele escolheu a injeção letal como maneira de ser morto | Foto: Reprodução

Richard Bernard Moore, de 57 anos, pode ser a quarta pessoa condenada a morte nos Estados Unidos a optar pelo fuzilamento, desde que foi estabelecido a pena de morte no país. O pena era para acontecer no próximo dia 29 de abril, mas a Suprema Corte da Carolina do Sul suspendeu a execução.

O fuzilamento não foi a primeira opção de Richard. Em 2001, quando foi condenado por matar o balconista James Mahoney, ele escolheu a injeção letal como maneira de ser morto e estava programado para acontecer em 2020, mas o estado não conseguiu os insumos necessários.

Por isso foi colocado para ele escolher entre fuzilamento e cadeira elétrica. Mesmo optando pela primeira forma Moore e seus advogados de defesa permaneceram a contestar a sentença, “Não acredito que o Departamento [de Correções] deva certificar que um método prescrito por lei, como injeção letal, não esteja disponível sem demonstrar um esforço de boa-fé para disponibilizá-lo”, disse em declaração.

O Departamento de Correções da Carolina do Norte reiterou ao The Washington Post que apesar dos esforços, os fabricantes dos medicamentos se negam a vender para eles. A defesa do acusado diz que eles não se esforçaram o suficiente para conseguir a injeção letal e obrigá-lo a escolher entre fuzilamento e cadeira elétrica é cruel e bárbaro.

Os advogados ainda acusam a pena de ser injusta perante o crime cometido. A defesa pediu à Suprema Corte do estado que adiasse a morte, enquanto dois outros tribunais revisam a legalidade da pena e é esse o motivo da morte mais uma vez ter sido adiada.

Compartilhe: