Avenida 3ª Radial é totalmente bloqueada para retirada de lixo, nesta quarta-feira (15)

A orientação aos condutores é para que busquem rotas alternativas ou utilizem o aplicativo Waze até às 18h

Postado em: 15-06-2022 às 09h59
Por: Rodrigo Melo
A orientação aos condutores é para que busquem rotas alternativas ou utilizem o aplicativo Waze até às 18h | Foto: Divulgação/Rodrigo Melo

A Secretaria Municipal de Mobilidade (SMM) interditou a Avenida Terceira Radial, no Setor Pedro Ludovico, nesta quarta-feira (15/06), desde 08h. O tráfego está interditado totalmente, sentido Sul/Norte (BR-153 a Terminal Isidória).

A SMM atende solicitação da Diretoria de Vigilância em Zoonoses, da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), que realiza retirada compulsória de materiais inservíveis, lixo orgânico e recicláveis de um imóvel residencial localizado na quadra 128. Agentes da Secretaria de Mobilidade dão apoio para garantir a segurança viária dos servidores da Saúde.

A orientação aos condutores é para que busquem rotas alternativas ou utilizem o aplicativo Waze até às 18h.

Continua após a publicidade

Retirada compulsória de lixo

A orientação aos condutores é para que busquem rotas alternativas ou utilizem o aplicativo Waze até às 18h
Foto: Divulgação/Rodrigo Melo

A Prefeitura de Goiânia conseguiu mais uma decisão favorável na Justiça para retirar, de forma compulsória, o lixo acumulado em uma casa na Avenida 3ª Radial, no Setor Pedro Ludovico nesta terça-feira (14/06). Será a segunda vez que haverá limpeza compulsória no local. A primeira foi em 22 de julho de 2020.

A ação contará com equipes da Diretoria de Vigilância em Zoonoses, Comurg, Guarda Civil Metropolitana, Secretaria Municipal de Mobilidade, Samu e a equipe psicossocial do Distrito Sanitário Sul. A expectativa é que sejam retirados do local aproximadamente 10 caminhões de lixo, e o material será levado para o aterro sanitário.

Desde 2012, os proprietários e acumuladores – hoje mãe e um filho idoso – vêm sendo acompanhados por fiscais da Vigilância Sanitária e equipe com psicólogo e assistente social. Os moradores já foram autuados nove vezes, porém continuam resistentes à limpeza do local onde há vários focos do Aedes aegypti.

Veja Também