Shakira fala pela primeira vez sobre separação com Piqué: ‘Hora mais sombria da minha vida’

O casal permaneceu junto por 11 anos e tiveram dois filhos Milan e Sasha

Postado em: 21-09-2022 às 17h41
Por: Victória Vieira
A diva do pop abriu o jogo em entrevista à revista Elle e revelou estar passando por um momento difícil | Foto: Reprodução/Instagram

A cantora Shakira, de 45 anos, falou pela primeira vez após a separação conturbada com o jogador do Barcelona, Gerard Piqué. O casal permaneceu junto por 11 anos e tiveram dois filhos Milan e Sasha. A diva do pop abriu o jogo à revista Elle e revelou estar passando por um momento difícil.

“Eu permaneci quieta e apenas tentei processar tudo. É difícil falar sobre isso, especialmente porque eu ainda estou passando por isso e porque estou aos olhos do público e nossa separação não é como uma separação normal. Tem sido difícil não só para mim, mas também para os meus filhos. Incrivelmente difícil”, informou a artista em entrevista.

A colombiana também desabafou acerca dos paparazzi que estão tumultuando sua casa. Ela conta que tem se escondido constantemente e não consegue ter uma rotina normal.

Continua após a publicidade

“Tenho paparazzi acampando do lado de fora, na frente da minha casa, 24 horas por dia, 7 dias por semana. Você sabe, não podemos dar um passeio no parque como uma família normal ou tomar um sorvete ou fazer qualquer atividade sem que os paparazzi nos sigam”, desabafou.

Questionada sobre o término com o atleta, Shakira foi sincera e disse estar vivendo um pesadelo. Ela destaca a culpa no sensacionalismo veiculado à mídia. “Às vezes, eu sinto que tudo isso é um pesadelo e que eu vou acordar em algum momento. Mas não, é real. E o que também é real é a decepção de ver algo tão sagrado e tão especial quanto eu pensava que era a relação que tive com o pai dos meus filhos e ver isso se transformar em algo vulgarizado e barateado pela mídia”, apontou.

A cantora caracterizou o divórcio como um “sonho destruído”, relatando ser uma das coisas mais difíceis enfrentadas pelas mulheres que tinham o desejo de construir uma família. Na época, o pai da cantora estava internado na UTI. Abalada, ela enfatiza não ter arrependimentos por se mudar para a Espanha em decorrer da carreira de Piqué, mas supõe a atitude do jogador como ingratidão.

“Como jogador de futebol, ele queria jogar futebol e ganhar títulos e eu tinha que apoiá-lo. Quero dizer, um de nós dois teve que fazer um sacrifício, certo? Ou ele rescindiria seu contrato com o Barcelona e se mudaria para os Estados Unidos comigo, onde está minha carreira, ou eu teria que fazer isso. E assim, um dos dois teve que fazer esse esforço e esse sacrifício. E eu fiz isso”, explicou. “Coloquei minha carreira em segunda marcha e vim para a Espanha, para apoiá-lo para que ele pudesse jogar futebol e ganhar títulos. E foi um sacrifício de amor. Graças a isso, meus filhos puderam ter uma mãe presente, e tenho esse vínculo incrível com eles que é inquebrável e que nos sustenta. Você sabe, é isso. Isso é tudo o que posso dizer”, finalizou.

Veja Também