Disney apresenta seu primeiro romance homoafetivo em “Strange World”

O cartaz de divulgação foi apresentado durante divulgação oficial no Instagram oficial da Walt Disney

Postado em: 19-11-2022 às 10h19
Por: Mariana Fernandes
O cartaz de divulgação foi apresentado durante divulgação oficial no Instagram oficial da Walt Disney | Foto: Divulgação

Com lançamento previsto para novembro, “Strange World” [Mundo Estranho] será o primeiro filme da Disney que abordará um romance homoafetivo entre adolescentes. O cartaz de divulgação foi apresentado durante a divulgação oficial da animação, que aconteceu no Instagram oficial da Walt Disney Animation Studios.

O desenhista de Strange Worl, Matthieu Saghezchi, diz estar satisfeito com o persongem. “Acabo de ver pela primeira vez #StrangeWorld da #Disney no festival #Annecy2022. Apresenta o primeiro romance adolescente abertamente gay em um filme da Disney! #RepresentationMatters”.

“A cena mostra o filho sendo muito tímido na frente do garoto que ele gosta, e seu pai entra e diz: ‘Prazer em conhecê-lo! Meu filho fala de você o tempo todo’ e envergonha ainda mais o filho”, descreve.

Continua após a publicidade

Antes, os sentimentos que apareciam de forma velada nas cenas de cinema, agora se apresentam de explicita. A empresa de entretenimento, com foco no público infantil e na família, teve vários personagens que foram assumidos como gays – embora sua sexualidade nunca tenha sido reconhecida – em projetos anteriores.

Um exemplo é o personagem LeFou do “A Bela e a Fera”, que foi anunciado como homosexual, mas não desempenhou um papel importante no desenvolvimento da trama.

Foto: Divulgação

“E as crianças?”

A peruana Giuliana Calambrogio, que é mestre em Matrimônio e Família pela Universidade de Navarra, ressaltou que “a inocência das crianças devem ser protegidas”. Ela enfatizou que as crianças não deveriam ser expostas a “situações em que terão um conflito entre o que é natural e aquelas situações que, embora aconteçam, não fazem parte do comum”.

Giuliana explicou que uma criança entre quatro e seis anos está na idade do pensamento imaginário. “Acredita em unicórnios, fadas, Papai Noel. Por isso, alguns aproveitam essa idade para introduzir a ideia de gênero, de homossexualidade, e tentam normatizar isso”, disse especialista que é mãe de oito filhos.

Segundo a especialista, “o lugar por excelência onde o ser humano se desenvolve plenamente e aprende a amar é uma casa composta por um homem e uma mulher onde os filhos se enriquecem com a complementaridade dos pais e reforçam a sua identidade sexual”.

O comentário da peruana deu o que falar nas redes, mas a Disney enfatiza que irá fazer a divulgação.

Veja Também