Terça-feira, 27 de fevereiro de 2024

Reabertura da sede do GTNM/RJ em Botafogo

Homenagem a Luiza Miriam Martins e desafios enfrentados durante o governo Bolsonaro

Postado em: 08-12-2023 às 00h46
Por: Luana Avelar
Imagem Ilustrando a Notícia: Reabertura da sede do GTNM/RJ em Botafogo
GTNM/RJ destaca estrutura colegiada e continuidade da luta pela justiça. | Foto: GTNM/RJ

No dia 4 de setembro de 2023, a sede do Grupo Tortura Nunca Mais (GTNM/RJ) foi reaberta em Botafogo, Rio de Janeiro, após um período de fechamento desde 2019. A decisão de fechar a sede foi motivada por problemas estruturais e receios relacionados ao governo Bolsonaro. Durante o evento de reabertura, foi prestada uma homenagem à militante Luiza Miriam Martins, falecida recentemente, com a presença de sua família.

A diretoria do GTNM/RJ, liderada por Rafael Maul, destacou a estrutura colegiada da organização, composta principalmente por mulheres militantes. Durante a reabertura, discursos emocionados ressaltaram a importância do grupo na vida de Luiza Miriam Martins e a continuidade da luta pela justiça em memória dos que foram vítimas da ditadura militar.

Em uma conversa subsequente, Elizabeth, ex-presidente do Grupo, ressaltou a dificuldade de existência durante o governo Bolsonaro e a importância contínua da luta, independente de afiliações políticas. Rafael Maul também abordou a não execução da sentença da Corte Interamericana de Direitos Humanos e a falta de espaços de memória para os mortos e desaparecidos políticos da ditadura.

Continua após a publicidade

A resistência financeira do GTNM/RJ foi mencionada por Maul, que descreveu a organização como amadora, dependendo do empenho dos membros e ocasionalmente de financiamentos específicos. A reabertura da sede representa não apenas um retorno físico, mas a persistência de uma luta pela verdade e justiça, mantendo viva a memória dos que sofreram nas mãos da ditadura militar.

Veja Também