Coluna

Atos de 7 de setembro deixam PM de Goiás em alerta

Publicado por: Venceslau Pimentel | Postado em: 04 de setembro de 2021

A movimentação de entidades militares, de incitação de PMs a participarem de atos pró-Bolsonaro, dia 7 de setembro, acendeu o sinal de alerta da Secretaria de Segurança Pública, embora o titular da pasta, Rodney Miranda, tenha falado que a rotina das forças de segurança não sofrerá alteração. Mas os policiais que estarão de folga vêm sendo estimulados a irem a Brasília, de preferência desarmados e à paisana. Pelo sim, pelo não, o governo não decretou ponto facultativo na segunda-feira, 6. A politização dos quartéis, depois de sucessivas investidas de Jair Bolsonaro, especificamente contra ministros do Supremo Tribunal Federal, ficou mais realçada após conclamação do presidente sobre os protestos no feriado. 

Recomendação  

Antevendo a possibilidade de confrontos nos atos de 7 de setembro, o Ministério Público acionou a Secretaria de Segurança Pública e o comando da Polícia Militar, para proibirem que militares estejam presentes em manifestações. 

Feriadão  

Ao mesmo tempo em que recomenda que policiais não sejam dispensados, de 6 a 8 de setembro, o Ministério Público decretou ponto facultativo na segunda-feira, esticando o feriadão.

Em suspense 

A possibilidade de o Progressistas dar uma guinada rumo ao centro-esquerda, deixando Bolsonaro na mão, com eventual apoio a Lula, pode alterar o movimento do partido em Goiás, que busca nomes qualificados para a disputa de 2022. 

Nova ofensiva 

No momento em que o preço do litro da gasolina chega a R$ 7, o presidente Jair Bolsonaro renova o embate com os governadores, ao entrar com ação no STF. Ele defende que os estados devem ser obrigados a cobrar o valor fixo do ICMS sobre combustíveis para corrigir distorções e, assim, provocar queda de preços na bomba. 

Distanciamento  

A tentativa de culpar governadores pelo aumento do preço dos combustíveis, provoca cada vez mais distanciamento político entre Ronaldo Caiado e Jair Bolsonaro. Principalmente que o presidente criticou o governador, mas sem citar seu nome.  

Golpe  

O prefeito Rogério Cruz teve que tomar medidas legais, acionando a equipe jurídica, depois o seu nome e foto passaram a ser utilizados de forma fraudulenta, em um perfil criados nas redes sociais. 

Mediador 

Ex-deputado federal e ex-senador, Mauro Miranda, um emedebista histórico, foi ao gabinete de Gustavo Mendanha, em Aparecida de Goiânia, sobre o cenário turbulento no partido, pelo embate do prefeito com Daniel Vilela. 

Decisão judicial 

Garoto-propaganda da Ivermectina, produzido pela sua farmacêutica, situada em Anápolis, o empresário José Alves Filho está proíbo de defender o uso do produto para tratamento da Covid-19. 

CURTAS 

– Na Comissão Mista da Assembleia Legislativa, o projeto do governo que prevê que detentos passem a custear pelo uso de tornozeleiras eletrônicas foi apensado a uma proposta com o mesmo teor, que já tramita no Parlamento. 

Compartilhe: