Coluna

Deputado questiona legitimidade do presidente da AGM

Publicado por: Venceslau Pimentel | Postado em: 29 de abril de 2021

Cotado para compor o conselho do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), o presidente da CCJ da Assembleia Legislativa, Humberto Aidar (MDB), disse considerar ilegítima a permanência do ex-prefeito de Hidrolândia, Paulo Sergio Rezende (PSDB), à frente da Associação Goiana dos Municípios (AGM), sem ter mandato eletivo. “Se a gente analisar, como é que o cidadão deixa de ser prefeito e continua à frente da associação dos prefeitos no Estado?”, indagou Aidar, depois de saber que o ex-prefeito divulgou nota se posicionando contra a extinção do TCM. “Me parece que não é legitimo um cidadão que já não é prefeito, mas eu tenho informação de que acabou o seu mandato mudando o estatuto. Nos causa estranheza”. 

Por um triz 

Por conta da situação do ex-prefeito de Hidrolândia, associados à AGM têm reunião marcada para hoje, quando estará em pauta mudanças no estatuto da entidade, conforme adiantou à coluna o prefeito de Gameleira, Wilson Tavares (DEM). 

Sem mandato 

Quem ainda se coloca contra a extinção do TCM é o ex-prefeito de Porteirão, José de Sousa Cunha (PSDB), que está no comando da Federação Goiana dos Municípios (FGM), e também não tem mais mandato. 

Rumo ao TCE 

Pela Proposta de Emenda à Constituição, do deputado Henrique Arantes (MDB), que extingue o TCM, prevê que todos os servidores efetivos do órgão serão incorporados e aproveitados no Tribunal de Contas do Estado. 

Gazeteiros  

Por falta de quórum para aprovar projetos, a Câmara de Goiânia teve que encerrar a sessão de ontem, fato que chamou a atenção do vereador Thialu Guiott (Avante), lembrando que são apenas três sessões por semana

Mais vacinas  

Presidente da Fieg, Sandro Mabel sugere que a Iquego seja transformada em unidade tecnológica de ponta na linha de produção da vacina contra a Covid-19 

Alienação de áreas 

Em razão de pedidos de vista feitos por deputados, o projeto do Governo que trata da venda de 57 áreas teve sua tramitação suspensa. São glebas em municípios como Goiânia, Caldas Novas, Cidade de Goiás, Goianésia, Uruaçu, Paraúna, Pirenópolis e Quirinópolis. A justificativa é de que são áreas sem finalidade pública. 

Liminar do STF 

Por decisão do ministro do STF, Dias Toffoli, foi deferida liminar para suspender decisão do Tribunal de Justiça que havia determinado ao Estado que promovesse a progressão na carreira de servidores. 

Sem efeito 

Conforme antecipado pela coluna, o desembargador Olindo Menezes jugou prejudica habeas corpus impetrado por padre Robson de Oliveira, cassando liminar concedida em dezembro pelo ex-ministro Nefi Cordeiro, que visava trancar ação penal contra o sacerdote, flagrado na Operação Vendilhões. 

CURTAS 

– A vereadora Gabriela Rodart (DC) puxou o coro dos críticos ao Psol, que quer tomar o mandato de Leia Klebia (PSC), alegando descumprimento de cota feminina nas eleições de 2020. Leia fala em perseguição. 

Compartilhe: