Coluna

Governo critica ‘negacionismo’ de empresários sobre crise

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 01 de julho de 2020

A busca de representantes do setor produtivo por culpar o
governo do estado pelo possível colapso do sistema de saúde com a covid-19 foi
respondida pelo secretário Geral da Governadoria, Adriano da Rocha Lima. Sandro
Mabel (FIEG) e Marcelo Baiocchi (Fecomércio) criticaram o decreto de isolamento
intermitente de 14 dias de fechamento por 14 dias de abertura e afirmaram que coube
ao governo, ao longo dos últimos 100 dias, providenciar leitos de UTI e
estrutura de atendimento. O auxiliar condena o “negacionismo” e a postura dos
representantes de “ficarem sentados pensando simplesmente em recuperar a
receita, sem levar em conta a realidade à volta deles e que dobramos em três
meses uma estrutura de saúde que levou décadas para ser construída em várias
cidades e que o mundo inteiro está atrás dos equipamentos para isso”, rebateu o
secretário.

Continuidade

Adriano da Rocha Lima ainda garante que “tudo o que é
possível” está sendo feito para aumentar a capacidade de atendimento e que
novos leitos de UTI estão em processo de implantação, além das medidas de
restrição decretadas.

Irresponsáveis

“É uma irresponsabilidade e uma crueldade com a população o
empresário, que se estabeleceu em Goiás e usufrui de benefícios, achar que pode
chegar e defender só o interesse das empresas dele”, critica o secretário.

Previsão

“Quero ver, quando tudo colapsar, qual vai ser a resposta do
Sandro Mabel”, questiona Adriano. “Temos que ter equilíbrio entre a economia e
a saúde”, diz.

Às empresas

O relator da Comissão Mista que acompanha as medidas contra
a pandemia, deputado federal Francisco Júnior (PSD), questionou ao ministro
Paulo Guedes que medidas são tomadas para regularizar o apoio a empresas.

É que…

O próprio ministro fez um “mea culpa” na abertura da reunião
remota realizada ontem e apontou que “apesar da qualidade da equipe do
Ministério da Economia, existem dificuldades”, definiu o deputado.

Correções

O relator ainda apontou as dificuldades encontradas pelos
governadores para investir os recursos disponibilizados pelo governo federal.
“Falta coordenação do governo em aspectos como a compra centralizada”, afirmou.

Sintomático

Caiu como uma bomba nos bastidores entre juízes e
desembargadores do TJGO a investigação sobre possível compra de sentenças. Silenciosa,
avaliação interna se apoia no fato de que a apuração começou na Corregedoria
local.

Bloqueio total

As maiores cidades do Entorno do DF se reuniram e não devem
aderir ao isolamento intermitente de 14 por 14 dias. Tendência é de lockdown
apenas nos fins de semana.

CURTAS

– O Sindicato dos Docentes da UFG divulgou nota de repúdio
contra os ataques sofridos pelo professor Thiago Rangel.

– Ele tem sido ameaçado após apresentar estudo que alerta
para um colapso em Goiás. A nota pede punição aos responsáveis.

– O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia avisa
que acordo sobre adiamento das eleições ainda está distante.

 

Compartilhe: