Coluna

Lissauer não garante pressa para aprovar adesão ao RRF

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 26 de junho de 2019

O presidente da Assembleia Legislativa, Lissauer Vieira
(PSB), se posiciona contra a adesão pelo estado de Goiás ao Regime de
Recuperação Fiscal (RRF), como determinado na última semana pelo ministro do
STF, Gilmar Mendes, ao atender ação de Ronaldo Caiado (DEM). Mais do que a
opinião pessoal do deputado, o pessebista afirma à Xadrez que não pretende
atender cegamente o pedido do governador para que a adesão, que precisa passar
pela Alego, seja aprovada rapidamente, antes do recesso parlamentar. “Tem duas
possibilidades: se for um texto complexo, que corte muitas coisas, nós não
vamos ter condições de votar agora, no apagar das luzes do semestre. Teríamos
que voltar à discussão dessa matéria. Agora, se for algo simples, até para o
governo ir trabalhando isso no período de recesso, podemos colocar em votação
para o mais breve possível”, aguarda Lissauer.

Tiro pela culatra

O presidente da Alego teme que o RRF cause mais problemas
que soluções. “Não é a melhor saída. Nós teríamos outras opções para fazer uma
recuperação menos traumática”, diz.

Setores

Outros deputados da base aliada apresentam, nos bastidores,
preocupações por conta de prováveis novos desgastes com servidores públicos e
empresários, por consequência da adesão ao regime fiscal.

Tranquilidade

Ainda sem “apertar o governo” e com “paciência”, Lissauer
retomou ontem a conversa com a secretária Cristiane Schmidt (Economia) e
Anderson Máximo (Casa Civil) sobre o duodécimo integral da Alego para este ano.

Finanças

Depois de 17 anos, Goiânia volta a sediar a agenda de
deliberações da Associação Brasileira das Secretarias de Finanças das Capitais
(Abrasf) sobre os rumos da gestão pública no Brasil.

Debate

Com o tema Avanços, Desafios e Práticas Integrativas,
secretários e técnicos de todo o país discutem no Paço Municipal o pacto federativo,
estratégias municipais, reformas tributária e da previdência.

Gestão

Já prefeitos, vereadores e gestores de municípios goianos
analisam, no primeiro Workshop de Gestão Pública o Índice de Governança
Municipal (IGM-CFA). Organização dos conselhos regional e federal de
Administração.

Advocacia

O programa “Bumerangue – Anuidade Vai e Volta”, que permite
a advogados goianos o retorno da anuidade (R$1 mil) em serviços, será tema de
reunião da OAB nacional, que ocorre hoje e amanhã em Goiânia.

Erro corrigido

Depois de admitir “erro grotesto” ao ser “incendiário”, o
líder caiadista, Bruno Peixoto (MDB), indicou ontem voto favorável à reeleição
do presidente da Alego. Só votaram contra Amauri Ribeiro e Humberto Teófilo.

CURTAS

– A Alego realiza pela primeira vez o ‘Arraiá Solidário’. O
evento é gratuito, mas busca doações de alimentos para a Apae.

– O TCE suspendeu em 2015 pagamentos para a construtora do
Hugol por suspeitas de superfaturamento. Agora, o Tribunal instaurou
investigação.

– A chamada Tomada de Preços Especial busca
identificar responsáveis por danos ao tesouro público. 

Compartilhe: