Terça-feira, 27 de fevereiro de 2024

Coluna

Magoado, Vanderlan rompe diálogo com Caiado e sinaliza para Marconi

Publicado por: Wilson Silvestre | Postado em: 30 de novembro de 2023

Mesmo afirmando que não ter grupo político seja tão essencial em uma candidatura majoritária, Vanderlan dá sinais que vai para o tudo ou nada como estratégia na captação dos possíveis desgarrados da base caiadista. Pelo menos essa é a percepção dos formadores de opinião depois da entrevista que ele concedeu ao programa ‘Papo de Garagem’. O senador literalmente dinamitou todas as pontes que ainda existiam entre ele e Caiado ao dar sua versão sobre ter traído Caiado. O jornalista politico Jarbas Rodrigues, do portal ‘Entrelinhas’, fez uma boa análise sobre a fala de Vanderlan, ressaltando sua versão sobre o episódio. O senador disse que em 2020 foi procurado pelos interlocutores do governador para ser candidato a prefeito de Goiânia. “Esse não era meu projeto, mas sim o de 2022. Aceitei o convite (do governador) para disputar a Prefeitura de Goiânia em cima de um compromisso, mas, naquele ano, Ronaldo Caiado decidiu que Daniel Vilela, presidente estadual do MDB, seria o seu vice na chapa (eleita depois). “Em 2020, os nossos adversários eram do MDB. O que aconteceu? O governador tomou a decisão de fechar com Daniel Vilela como seu vice em 2022. Ponto. Quem traiu não fui eu. Foi ele quem procurou os nossos adversários para se aliar. Faltou diálogo. O compromisso que a gente tinha não fui eu quem desfiz. Foi ele”, sintetizou o senador. Outro ponto abordado na entrevista são as palavras elogiosas ao ex-governador Marconi Perillo. “Ele vai assumir [deve] a presidência nacional do PSDB e, do jeito que trabalha, vai voltar a fazer grupo político. Pode, inclusive, voltar a ser governador em Goiás. A pessoa com quatro mandatos no governo estadual não pode ser desprezada. Tem legado para mostrar. Eu tenho conversado muito com ele”, disse.

“Grupo político sem estrutura?”

No trecho da entrevista ao ‘Papo de Garagem’ captado pelo portal ‘Entrelinhas’ sobre não ter grupo político, Vanderlan foi enfático: “O político que tem grupo é aquele que possui estrutura para oferecer aos aliados. Quem faz grupo político sem estrutura? Qual era o grupo de Ronaldo Caiado antes de ele ser governador? Vejam o que virou Marconi Perillo (PSDB), com quatro mandatos de governador nas costas, depois das derrotas eleitorais?”, resumiu.

Continua após a publicidade

Audiência pública

Depois de bater bumbo na sessão da Alego desta quarta-feira (29), a oposição capitaneada pelo deputado Clécio Alves (Republicanos), aprovou audiência pública para discutir a majoração da alíquota do ICMS nesta segunda-feira (4). Na terça-feira (5), o projeto entra em votação no plenário.

Único nome

O deputado estadual Karlos Cabral (PSB), pré-candidato a prefeito de Rio Verde, tem acompanhado a divisão na base bolsonarista na cidade entre dois ou mais candidatos para 2024. Ele aposta nos votos do eleitorado de centro-esquerda, que somam mais de 40% na cidade.

Aliás…

Karlos Cabral deverá ter como principal cabo eleitoral para a sua campanha em Rio Verde o vice-presidente e ministro da Indústria e Comércio, Geraldo Alckmin. Mas também tem conversado com lideranças de partidos de centro. Inclusive com o PSDB.

Com Lula?

O ex-deputado Lissauer Vieira, que vai se filiar ao PL para ser o candidato do bolsonarismo para a Prefeitura de Rio Verde, disse em entrevista ao Tribuna do Planalto que será muito importante que a próxima gestão tenha diálogo com os governos estadual e federal para conseguir investimentos no município. (Especial para O Hoje)