Coluna

Politização da eleição da OAB Goiás vai parar no STF

Publicado por: Venceslau Pimentel | Postado em: 08 de novembro de 2021

Pela primeira vez, a politização da eleição para a presidência da Ordem dos Advogados do Brasil, seção Goiás, ganha evidência num dos pleitos mais acirrados. Cada candidato, a seu modo, foi em busco de apoio político tanto na Assembleia Legislativa como na Câmara de Goiânia. Para candidatos não apoiados pela atual diretoria argumentam que esse fato tira a autonomia da entidade, a desviando de sua finalidade, que é fortalecer a categoria em suas demandas. Por fim, o impedimento aos profissionais inadimplentes foi parar na Justiça. Chegou ao STJ e agora vai parar no STF, depois que o candidato Pedro Paulo de Medeiros tentou abrir espaços a quem não pagou a anuidade.

Na Alego

Ainda sem data definida, a Alego vai promover, pela primeira vez, um de bate entre os candidatos a presidente da OAB, ante do dia 19 de novembro, data da eleição, por sugestão do deputado Delegado Humberto Teófilo (PSL).

No DF

No momento em que a Assembleia Legislativa de Goiás não vota a criação de uma loteria do Estado, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), enviou à Câmara Legislativa projeto para criar casas lotéricas distritais.

Adiados

O MDB e o PSDB ainda não remarcaram as datas dos encontros que os dois partidos realizariam ontem, separadamente, por conta da morte da cantora Marília Mendonça.

Preocupação

Boletim médico informa sobre a piora do quadro de saúde do ex-prefeito Iris Rezende trouxe preocupação para os políticos goianos. Iris avalizou a aliança do MDB com o governador Ronaldo Caiado (DEM), para as eleições de 2022.

Censo 2022

Prefeito de Damolândia, Rogério Neto (PSDB) não escondeu sua satisfação pelo fato de o município ter sido escolhido, em Goiás, para o lançamento do evento-teste do censo de 2022.

Post mortem

Por conta do acúmulo de projetos aguardando votação em plenário, a deputada Lêda Borges (PSDB) que fazer a entrega de título de cidadania goiana à família do homenageado que morreu antes da aprovação da honraria.

Demora

Por iniciativa do ex-vereador Paulinho Graus (PDT), a Câmara de Goiânia aprovou, em 2020, título de cidadania goianiense a Marília Mendonça. Mas a demora foi tanta que a cantora não teve tempo de receber a honraria.

Pré-candidatos

A um ano das eleições, a Justiça Eleitoral alerta para o prazo de desincompatibilização de que ocupa cargo público ou de dirigentes de empresas. Período varia de três a seis meses. Candidaturas poderão ser indeferidas

CURTAS

  • A expectativa desta semana é para a apreciação, em segundo turno, da PEC dos Precatórios e como deve se posicionar a bancada goiana na Câmara Federal. Dos 17 integrantes, somente Elias Vaz (PSB) e o petista Rubens Otoni disseram não à proposta de emenda à Constituição.
Compartilhe: