Coluna

Sem Iris e Maguito, Daniel assume protagonismo no MDB

Publicado por: Venceslau Pimentel | Postado em: 10 de novembro de 2021

Com a morte de Maguito Vilela e Iris Rezende, o presidente do diretório estadual do MDB, Daniel Vilela, assume o protagonismo no partido prestes a completar 38 anos de idade e13 de vida pública, quando foi eleito, em 2008, vereador de Goiânia. Depois foi eleito deputado estadual e federal, para, em 2018, ser derrotado pelo democrata Ronaldo Caiado, de quem agora é aliado. Por conta dessa composição política, anunciada a um ano do pleito de 2022, o MDB vai deixar de ser um dos protagonistas na eleição do ano que vem, abdicando de uma tradição que vem desde 1982, com Iris, Henrique Santillo e Maguito. Desde a retomada de eleições diretas, no início da década de 1980, Iris foi a maior estrela emedebista, cuja responsabilidade agora está com o filho de Maguito. 

Adversário  

Com o partido rachado, Daniel foi anunciado vice na chapa a ser encabeçada por Caiado, que deverá ter como adversário o prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, que deixou a legenda, insatisfeito com a aliança costurada por Daniel. 

Legado  

Ex-primeira-dama Iris de Araújo diz que é dever dela defender o legado de Iris Rezende, mas não pensa em novamente se candidatar a cargo eletivo. Pelo menos por enquanto. 

Letra e pingo 

Dando pista de que não permanecerá no MDB, o deputado Paulo Cezar Martins, que rompeu com Daniel Vilela e se aliou a Mendanha, diz que não há MDB sem Iris. É aguardar. 

Ponta do lápis  

Presidente do diretório nacional do PDT, Carlos Lupi contabiliza 11 votos contra a PEC dos Precatórios, incluindo o da deputada federal Flávia Morais, que votou a favor da matéria no primeiro turno. Dos 15 que acompanharam o governo, três estão em processo de expulsão. 

Dobradinha  

Alinhado a Jair Bolsonaro, o deputado Delegado Humberto Teófilo (PSL) aposta na dobradinha do presidente com Gustavo Mendanha em 2022. Ele é um dos entusiastas de uma aliança entre os dois. 

Projeção  

Com apenas um representante na Câmara de Goiânia e nenhum na Assembleia Legislativa, o PL tem expectativa de aumentar a sua representatividade política e conquistas cadeiras no pleito de 2022. 

Por Goiás 

Em um ano como ministro do STF, Nunes Marques, em uma das mais de 4 mil decisões judiciais, manteve a validade de decreto que ampliou o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros contra tentativa de proprietários rurais. 

E agora? 

A decisão do Supremo Tribunal Federal contra o orçamento secreto levou o deputado federal Rubens Otoni (PT) a indagar ao presidente da Câmara Dos Deputados, Arthur Lira, o que fazer agora. Otoni celebrou. 

CURTAS 

– Tanto a Assembleia Legislativa quanto a Câmara de Goiânia estão programando homenagens à memória de Iris Rezende durante as sessões de hoje em ambas às Casas Legislativas. 

Compartilhe: