Segunda-feira, 15 de julho de 2024

Coluna

União Brasil ‘descola’ do lulopetismo de olho em 2026

Publicado por: Wilson Silvestre | Postado em: 30 de dezembro de 2023

Nas últimas eleições, para sobreviver, legendas que corriam risco de virar os chamados ‘nanicos’, inauguraram a fase das fusões e, mais recentemente, federação partidária. O União Brasil que nasceu da fusão PSL e DEM, foi relativamente bem no governo do ex-presidente Jair Bolsonaro, mas a mudança de inquilino no Palácio do Planalto com a volta de Lula, a ala da direita orgânica, capitaneada pelo governador de Goiás, Ronaldo Caiado, deputado federal, Mendonça Filho (PE) e o ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, divergiu do atual presidente do União Brasil, Luciano Bivar (PE). Eles advogam que um partido como o UB que tem oito senadores, quatro governadores, dois vice-governadores, 59 deputados federais, 98 deputados estaduais, 592 prefeitos, 570 vice-prefeitos, 5.233 vereadores e um deputado distrital está credenciado a ter candidato a presidente da República. Luciano Bivar acredita que é muito cedo para se discutir candidatura a presidente do País. Foi a gota d’água para precipitar a mudança no comando da legenda. Os ‘orgânicos’ indicaram o vice-presidente, Advogado Antônio Rueda para substituir Bivar na convenção do partido em fevereiro. O consenso é para que Bivar passe a ser um “conselheiro de alto nível” na legenda, assim o União Brasil fica livre para construir uma candidatura a presidente. O governador de Goiás, Ronaldo Caiado é o pretendente mais forte e melhor avaliado pelos membros do diretório do União Brasil. Com essa mudança no comando da legenda, o UB ‘descola’ do ‘lulopetismo’ e busca trilhar novos caminhos.

Isolar a “velha politica” e avançar

Na opinião do cientista político e consultor de estratégias eleitorais, Paulo Kramer, a tendência é que a ‘direita emergente’, busque isolar lideranças da “velha politica” que preferem gravitar ao entorno do poder do que ousar conquistá-lo. “Caiado e Tarcísio são parte dessa direita propositiva e trabalham em busca de apoio do centro, mas sem magoar a ‘bolha’ bolsonarista”, avalia Kramer.

Continua após a publicidade

Alcolumbre, a pedra

A eleição do novo presidente do UB em fevereiro, pode esbarrar em uma pedra no caminho. É que o senador Davi Alcolumbre (AP), trabalha para ser ungido presidente do Senado em 2025 e busca o apoio do PT. Ele não vai engolir a ‘independência’ do UB em relação ao governo Lula sem espernear.

Pesquisa Ipespe

Nenhuma surpresa em relação às pesquisas divulgadas anteriormente com o Ipespe Analítica divulgada nesta sexta-feira (29), na CNN Brasil sobre a intenção de votos para prefeito de Goiânia. Vanderlan Cardoso (PSD) aparece com 23%, em segundo Adriana Accorsi (PT) 15%, Major Vitor Hugo (PL) 14% e o prefeito Rogério Cruz (Republicanos) 8% e Ana Paula Rezende 5%.

Bruno não consta

Duas surpresas na pesquisa Ipespe: o presidente da Alego não constar na pontuação e a empresária, Ana Paula Rezende pontuar com 5%. Há alguns meses ela anunciou que desistiria de concorrer a prefeita. Quanto a Bruno Peixoto (UB), terá que rever seu marketing político.

 “Haverá ganho”

Em entrevista ao jornal Valor desta sexta-feira (29), a ex-secretária de Economia de Goiás, Cristiane Schmidt disse que “Às vezes é melhor aprovar nada do que aprovar o politicamente possível. Na reforma tributária, mesmo sendo politicamente viável, haverá ganho”.

Esquerda X direita

Pelo andar dos protestos na Argentina, a esquerda vai implodir o governo do recém eleito presidente Javier Milei e mergulhar o País no abismo. Essa divisão entre direita e esquerda sempre leva a um desfecho ruim para o país. (Especial para O Hoje)