Coluna

Wilder Morais ainda acredita em crescimento nas pesquisas

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 19 de abril de 2018

Depois do isolamento na base aliada ao governador José
Eliton (PSDB), que o obrigou a mudar de partido pela falta de chances para
ocupar vaga majoritária, o senador Wilder Morais (DEM) agora passa a ter como
principal desafio a estruturação de campanha efetivamente viável. A maior
barreira até agora é objetiva: o senador não pontua bem nas pesquisas
quantitativas e segue como ilustre desconhecido do eleitorado em geral. Sobre
este cenário, Wilder se mostra otimista e confiante nos números. Ressalta todos
os investimentos que conseguiu em quase todas as cidades do estado por meio do
“trabalho de bastidores em Brasília”, junto a ministros e à presidência da Caixa
Econômica Federal, passando por obras em de parcerias entre Estado e União. “O
meu estilo de resultado foi este, com tanto trabalho e recursos para Goiás. Não
fiquei para trás. Apresentei e relatei quase 200 projetos e estou fazendo a
minha parte. Estou muito contente e confiante. Não me preocupo com as pesquisas
e, nos próximos dias, quando decidirmos a chapa, vamos crescer”, afirmou à CBN.

Ops!

Após comentários depreciativos, a desembargadora Marília
Castro Neves, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, pediu desculpas
publicamente, por meio de uma carta, à professora Débora Seabra e à vereadora
Marielle Franco.

Fake news

Débora é portadora de Síndrome de Down e teve sua capacidade
de exercer a profissão questionada pela desembargadora, que também afirmou que Marielle,
estava ligada a bandidos e que teria sido eleita com a ajuda de facções
criminosas.

Secretário admite
desconforto

Indicação pessoal do deputado federal Heuler Cruvinel, o titular
da Secretaria de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e
Assuntos Metropolitanos, Hwascar Fagundes, admite situação desconfortável no
governo. Nada com o governador José Eliton (PSDB). O problema são as
interpretações políticas de que a permanência dele no cargo não mais representa
o grupo do PSD, depois que Heuler deixou o partido e se filiou ao PP, que pode ficar
na base ou fechar aliança com a oposição. Hwascar chegou a ter conversa
reservada com Eliton para tratar sobre o assunto e foi tranquilizado. Teve
garantias de que não há interesse de troca no comando da pasta. Mesmo assim, a
posição está longe do conforto. “Uma das exigências para que eu viesse era que
eu tivesse autonomia e nomeasse a minha equipe”, afirma, diante da reclamação
de que indicações do PSD teriam sido tiradas. “É a primeira vez que ocupo cargo
público e tenho dificuldade de entender a política. Óbvio que fico
desconfortável, mas sigo trabalhando”.

CURTAS

Energia – A Enel
Distribuição Goiás executa projeto de atendimento móvel em uma van itinerante.
Os serviços estão disponíveis das 10h às 17h no Jardim Novo Mundo. 

Conciliador? – “Vou
entrar no jogo, mas não serei candidato na marra. Disputarei internamente na base”,
diz Demóstenes Torres (PTB), com elegibilidade confirmada.

Interno – O SecoviGoiás realiza
até amanhã campanha de imunização contra o vírus influenza, para seus
funcionários e associados.

Agenda

A presidente nacional do Podemos, deputada federal Renata
Abreu (SP), realiza nesta tarde, na Assembleia Legislativa de Goiás, o
lançamento do deputado estadual Lívio Luciano como pré-candidato à vice de
Ronaldo Caiado (DEM).

Calma lá

Na prática, a intenção é dar possibilidades ao senador, caso
não sejam confirmadas novas e maiores alianças até as convenções. Lívio ainda
trabalha com o plano único de ser candidato à reeleição.

Dobradinha

O ex-vereador Denício Trindade deixou a presidência da
Ceasa-GO, no prazo de desincompatibilização. Ele é pré-candidato a uma vaga na
Assembleia Legislativa pelo Partido Solidariedade e conta com o apoio do Federal
Lucas Vergílio.

Caminho aberto

Vanderlan Cardoso (PP) voltou a confirmar que seu novo
partido pode caminhar com a oposição na eleição de outubro. “Eu tenho conversa
com todos os pré-candidatos. Se fosse para caminhar com a base, eu tinha ficado
no PSB”, define.

Verba garantida

A Secima conseguiu recuperar R$ 5,6 milhões de taxas junto
ao Ibama. Os recursos são provenientes da Taxa de Fiscalização Ambiental
(TFAGO) que é cobrada conjuntamente com a Taxa de Controle e Fiscalização
Ambiental.

O IBAMA não repassava o valor correspondente a Goiás referente
aos anos de 2015 a 2017. No entanto, o órgão federal depositou ontem o recurso
na conta do Fundo Estadual de Meio Ambiente (Fema).

 

Compartilhe: