Grupo tenta migrar para roubo a banco

Quatro jovens com passagens por vários crimes foram detidos nesta semana quando tentavam migrar para a prática de explosão de caixas eletrônicos

Postado em: 02-09-2016 às 06h00
Por: Sheyla Sousa

Quatro jovens com passagens por vários crimes foram detidos nesta semana quando tentavam migrar para a prática de explosão de caixas eletrônicos em Goiânia. O grupo, que de acordo com a Polícia Civil (PC) tinha integrantes recorrentes na prática de roubo, fazia as primeiras tentativas de roubar bancos para aumentar a lucratividade. O quinto integrante está foragido. Três menores integravam o bando.
Kazu Camy Oliveira Cunha, 19, foi detido na tarde da quarta-feira (31). Na casa dele estavam explosivos utilizados pelo bando para a prática de crimes. No mesmo dia um menor de 15 anos de idade também foi detido. No sábado (27) os outros dois menores do grupo já haviam sido presos pela Polícia Militar (PM).
O quinto suspeito foi identificado como Vinícius Gonçalves Campos (20), que se encontra foragido porque foram emitidos contra o mesmo três mandados de prisão. Nos últimos dois anos ele foi preso cinco vezes. A maioria delas, segundo o delegado titular Grupo Antirroubo a Bancos da PC, Alex Vasconcelos, por roubos. “Em 2014 aconteceu de ele ser preso duas vezes no mesmo mês. Nós temos registro de prisão no dia 2 e soltura no dia 5”, disse.
São atribuídos ao grupo dois crimes. Na sexta-feira (26) eles teriam tentado roubar uma agência bancária no Jardim Novo Mundo, Região Leste de Goiânia. Os explosivos foram detonados, mas eles não conseguiram levar o dinheiro. De acordo com a polícia, na quarta-feira (31) o grupo ainda tentou roubar uma agência no Parque Amazônia, Região Sudoeste da capital. Eles arrombaram a porta, mas neste caso os explosivos não foram detonados.
Kazu foi autuado em flagrante por tentativa de furto, explosão, corrupção de menores e posse ilegal de explosivo. As penas somadas podem chegar a 24 anos de detenção.

Agilidade
“As investigações por parte do GAB da PC já ocorriam desde sexta-feira passada [dia 26/8] quando houve uma tentativa de arrombamento em uma agência no Jardim Novo Mundo em Goiânia. A partir de então, nós começamos a diligenciar no sentido de identificar e qualificar os criminosos, bem como realizar a prisão”, explica o delegado que prendeu Kazu cerca de dez horas após o segundo crime.
O grupo é considerado amador. “A utilização do artefato explosivo por eles confeccionado, realmente um artefato muito grande, com alto poder destrutivo. Então assim, embora amadores muito ousados na tentativa de violação dos caixas eletrônicos”.

Veja Também