Lázaro pode ser autor de mais de 30 crimes, diz secretário

Ele teve seu DNA recolhido pela polícia para que possa ser feita a identificação em mais crimes atribuídos a ele.

Postado em: 30-06-2021 às 18h08
Por: Alice Orth
Ele teve seu DNA recolhido pela polícia para que possa ser feita a identificação em mais crimes atribuídos a ele. | Foto: Reprodução

Lázaro Barbosa, de 32 anos, que foi capturado e morto em confronto com a polícia na manhã de segunda-feira (28/06), pode ser autor de mais de 30 crimes entre Goiás, Bahia e Distrito Federal, disse o secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda.

Ele já era acusado de uma chacina de uma família em Ceilândia (GO), estupro, roubo e invasão, e condenado por um duplo homicídio na Bahia. Lázaro teve seu DNA recolhido pela polícia para que possa ser feita a identificação em mais crimes atribuídos a ele.

“Contando Goiás, DF e Bahia, são mais de 30. Temos esses crimes que já são conhecidos: o quádruplo homicídio no DF, a tripla tentativa aqui, o sequestro da família em Goiás e temos outros sete, entre latrocínios, assassinatos, em aberto”, explicou o secretário.

Continua após a publicidade

Com os dados genéticos, os investigadores podem incluir amostras no sistema e checar por correspondências. “Nesse banco a gente insere perfis de vestígios de locais de crime e também vestígios coletados de corpos de vítimas, como, por exemplo, vítimas de estupro. E também colocamos perfis genéticos de condenados por crimes previstos na legislação”, disse Miranda.

Segundo ele, em caso de cadáveres, a coleta é feita para tentar associação com delitos ainda não solucionados. “Aí é possível associar o crime, o vestígio biológico que foi deixado em um local de crime ou no corpo de uma vítima com o perfil de um condenado, de um suspeito ou de um cadáver que cometeu algum tipo de crime”, explicou.

Veja Também