Goiás aguarda liberação para vacinar crianças de 3 a 11 anos

Em agosto a Anvisa rejeitou pedido para o uso da CoronaVac em crianças com idades entre 3 a 17

Postado em: 24-09-2021 às 10h13
Por: Redação
Em agosto a Anvisa rejeitou pedido para o uso da CoronaVac em crianças com idades entre 3 a 17 | Foto: Reprodução

Goiás está aguardando liberação para vacinar contra a Covid-19 crianças de 3 a 11 anos com CoronaVac. A informação foi confirmada pelo Secretário Estadual de Saúde, Ismael Alexandrino, ontem (23). Enquanto não há aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para vacinar o público dessa faixa etária, Goiás segue vacinando adolescentes de 12 a 17 anos com a vacina da Pfizer/BioNTech. Goiânia, por sua vez, já vacina adolescentes com 15 anos completos.

Vale lembrar, entretanto, que em agosto a Anvisa rejeitou o pedido do Instituto Butantan para o uso da CoronaVac em crianças e adolescentes com idades entre 3 a 17 anos, realizado no final de julho. À ocasião, a diretoria colegiada da Agência entendeu que, com as informações apresentadas pelo Butantan no pedido em questão, não foi possível concluir sobre a eficácia e a segurança da vacina nessa faixa etária, e que ainda, os dados de imunogenicidade deixam incertezas sobre a duração da proteção conferida pelo imunizante.  

Além disso, a Anvisa afirmou que “o perfil de segurança da vacina também não permite concluir quais os riscos para pacientes nesta faixa etária, em grande parte devido ao número insuficiente de participantes dos estudos que embasaram o pedido do Butantan, feitos na China”. Segundo a pasta, faltaram dados que considerassem a vacinação em faixas etárias específicas, além de não ser conhecida a eficácia ou a capacidade de indução de resposta imune pela vacina em crianças com comorbidades e imunossuprimidas. 

Continua após a publicidade

Por isso, a Anvisa destacou que, para prosseguir com a solicitação de inclusão de crianças e adolescentes na bula da CoronaVac, o Instituto Butantan precisa apresentar as informações pendentes e submeter à Agência um novo pedido. Além de Goiás, Estados como Minas Gerais e Espírito Santo já afirmaram que aguardam aval da Anvisa para prosseguir com a vacinação nesta faixa etária.

12 a 17 anos

A vacinação dos adolescentes entre 12 a 17 anos, sem comorbidades, acontece seguindo ordem de prioridades. A recomendação é do Ministério da Saúde (MS), publicada em Nota Técnica na noite de quarta-feira (22).  À ocasião, a pasta reforçou a orientação para que estados e municípios utilizem apenas a vacina da Pfizer/BioNTech, única autorizada pela Anvisa para a faixa-etária, destacando que a orientação garante a segurança da campanha de imunização.

Segundo a recomendação da pasta, como já havia sido divulgado anteriormente, a vacinação desse público deve começar pelas adolescentes grávidas, puérperas e lactantes, adolescentes com deficiência permanente e com comorbidades. Em seguida, a prioridade deve ser dos jovens de 12 a 17 anos privados de liberdade. A lista de comorbidades está definida no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO). (Especial para O Hoje)

Veja Também