Policiais militares que espancaram jovem com câncer têm prisão preventiva decretada

Postado em: 10-12-2021 às 16h38
Por: Fernanda Santos
Justiça acatou pedido do MPGO pela prisão preventiva de policiais que usaram abordagem violenta contra Chris Wallace | Foto: Reprodução

A Justiça acatou o pedido do Ministério Público de Goiás (MPGO) pela prisão preventiva dos dois policiais suspeitos de provocar a morte de Chris Wallace da Silva, um jovem com câncer nos ossos, após uma abordagem ocorrida no dia 10 de novembro, no Residencial Fidelis, em Goiânia.

Os agentes foram denunciados por homicídio qualificado por motivo torpe, emprego de meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima. O pedido assinado por promotores do MPGO teve como argumento a necessidade de garantia da ordem pública e conveniência da instrução criminal, tendo em vista que o crime foi praticado de maneira cruel e violenta.

Relembre

Chris Wallace havia ido em uma distribuidora de bebidas com um amigo, quando eles foram parados pelos militares. O jovem teria pedido para não apanhar por ter câncer, mas mesmo assim os agentes desferiram chutes e tapas, além de golpes com cassetete na cabeça e corpo da vítima, que teve um traumatismo cranioencefálico.

Chris chegou a ser socorrido e foi levado de ambulância até o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), onde ficou internado até o dia 16 de novembro. Ele não resistiu e acabou morrendo na UTI.

Compartilhe: