Infraero estima aumento 33% no fluxo de passageiros no Aeroporto de Goiânia neste final de ano

Postado em: 15-12-2021 às 09h31
Por: Maiara Dal Bosco
Infraero estima aumento 33% no fluxo de passageiros no Aeroporto de Goiânia neste final de ano | Foto: Reprodução

A Infraero estima que no Aeroporto de Goiânia, entre os dias 17 de dezembro de 2021 e 03 de janeiro de 2022, a previsão de 1.189 voos, com fluxo de 155.774 passageiros.O número é 36% maior com relação ao número de voos em 2020, registrados no período de 18 de dezembro de 2020 a 04 de janeiro de 2021 e 33% maior com relação ao número de passageiros, quando os índices foram, respectivamente de 872 voos e 117.300 passageiros.  

Segundo divulgou a Infraero, os 37 aeroportos da Rede com voos comerciais regulares devem receber cerca de 2,9 milhões de passageiros entre os dias 17 de dezembro de 2021 e 3 de janeiro de 2022. O número é 44% maior em relação ao movimento do ano passado, quando 2 milhões de pessoas embarcaram e desembarcaram nos terminais da empresa, entre os dias 18 de dezembro de 2020 e 4 de janeiro de 2021.  

A projeção para as festas de fim de ano foi elaborada a partir das programações informadas pelas empresas aéreas. Estão previstos também 22,6 mil pousos e decolagens no período, 37% superior em relação aos 16,5 mil voos realizados no período do ano passado.  O maior movimento deve ocorrer entre os dias 20 e 23 de dezembro e 3 de janeiro. 

Movimentação 

Em 2019, Goiás participou de 3,4% da movimentação aérea de passageiros e de 2,6% da carga aérea transportada no Brasil. É o que apontam dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Neste período, Goiânia concentrou 96,4% e 99,0% dessa movimentação de passageiros e carga, respectivamente. Já em 2020, devido à pandemia de Covid-19, Goiânia registrou uma queda de 56,6% de passageiros, bem como uma redução de 51,3% na carga aérea transportada.

Outro dado trazido pelo IBGE dá conta de que, em 2019, Goiás contava com três cidades com aeroportos que tiveram voos regulares de passageiros ou transportaram alguma carga aérea enquanto serviço pago: Goiânia, Caldas Novas e Rio Verde. Ao todo, no ano de 2019, as três cidades movimentaram 3.196.210 passageiros aéreos e 10.551.116 kg de carga aérea. Destas, em 2020, Caldas Novas foi a cidade que registrou a queda mais acentuada, na ordem de 78,2% para passageiros e 79,9% no transporte de cargas. Rio Verde, por sua vez, teve queda de 47,2% na movimentação de passageiros e 61,6% na quantidade de carga aérea transportada.

Destinos

Com relação às movimentações aéreas, o IBGE destacou ainda que as principais movimentações aéreas de Goiás são com o estado de São Paulo, concentrando 70,0% de passageiros e 73,4% da carga aérea movimentada no ano de 2019. Nesse caso, enquanto Goiânia e Caldas Novas possuem sua principal ligação de passageiros com São Paulo Capital, concentrando 58,9% e 59,3% da movimentação, respectivamente, Rio Verde, por outro lado, teve 99,9% de sua movimentação aérea de passageiros com Campinas (SP). Já para o transporte aéreo de cargas, o padrão permanece o mesmo para Goiânia e Rio Verde, tendo suas principais ligações de carga com as mesmas cidades com as quais movimentaram mais passageiros, ou seja, São Paulo (SP) e Campinas (SP), respectivamente. Já Caldas Novas teve a sua principal ligação aérea movimentando carga com a cidade de Campinas (SP), com um total de 2.616 kg para o ano de 2019.  

Neste cenário, Goiânia possuía, em 2019, 12 opções de voos diretos com atendimento regular, sendo os principais para São Paulo (SP), Campinas (SP), Brasília (DF) e Belo Horizonte (MG). Assim, por meio dessas opções de voos diretos, a quantidade total de destinos voados pelas passagens aéreas comercializadas estendeu-se a 77 ao se considerar os 65 destinos indiretos possíveis por meio de conexões e/ou escalas. Com isso, a Capital ficou na 12ª posição das 96 cidades com maior acessibilidade geográfica pelas opções de destinos totais para o ano de 2019. (Especial para O Hoje)

Compartilhe: